Que a Itália é um destino lotado de pequenas cidades incríveis todo mundo já sabe. Mas, entre tantas, tem algumas que não podem ficar de fora do roteiro; como é o caso de Perugia, a 170km de Roma.

A cidade medieval fica na região da Úmbria e é um verdadeiro “museu a céu aberto”, cercada por uma linda paisagem de colinas, ruínas de antigos palácios, fortalezas, ruas estreitas de pedras e charmosas vilas. Além disso, tem direito àquela típica praça principal de pequenos vilarejos, com uma Igreja que você não dá nada por fora mas – quando entra – é um deslumbre, inúmeros cafés e sorveterias e construções espetaculares.

Perugia

Se você ainda não se convenceu a conhecer Perugia, temos o motivo mais delicioso de todos: ela também é conhecida como a “Cidade do Chocolate”.  Foi lá que, em 1922, nasceu o icônico chocolate italiano Baci, e onde até hoje fica a fábrica da Perugina de onde saem todos os Baci consumidos no mundo. Além, é claro, de ser palco do maior festival de chocolate da Europa: a Eurochocolate, que acontece em outubro.

Fábrica do Bacio Perugina (Foto: divulgação)

Quem nunca teve o sonho de conhecer uma fábrica de chocolates? A Perugina, que hoje faz parte do grupo Nestlé, tem visitas guiadas pela fábrica, além de um museu do Baci. O tour começa com um pequeno vídeo, que mostra a história do bombom mais consumido na Itália e da fábrica que começou como uma pequena loja de chocolates. Em seguida, um passeio pelo museu conta desde a história do cacau até como foi feito o primeiro Baci. E também reúne curiosidades e anúncios de antigamente, que já teve ninguém menos do que Frank Sinatra como garoto-propaganda.

Quando a visita ao museu acaba é que se conhece a parte onde são, realmente, produzidos os chocolates. Por lá, não é permitido filmar ou tirar fotos. Nessa fábrica, além do Baci, outros produtos da linha Perugina são produzidos, como chocolates com diferentes recheios e balas.

Museu Baci Perugina (Foto: Tina Bornstein)

E o grand finale não poderia ser melhor: um “open de chocolate”. Isso mesmo: você pode comer o quanto quiser – e aguentar – de todos os chocolates produzidos na fábrica. É uma delícia! E, claro, que a visita acaba em uma lojinha da Perugina, com preços um pouco mais em conta do que nos supermercados e com a linha completíssima dos produtos. De enlouquecer qualquer chocólatra!

Degustação de chocolate na fábrica (Foto: Tina Bornstein)

Scuola del Cioccolato
Já pensou fazer um curso de chocolate na Itália? Quando for à Perugia essa pode ser sua grande oportunidade. Na fábrica da Perugina tem a Scuola del Cioccolato, onde é possível aprender a fazer um Baci ou um curso de cake design. A experiência é divertida e saborosa. O professor ensina desde como derreter corretamente o chocolate, como temperar (acredite, essa é a parte mais difícil) até como decorar seu Baci. No final da aula, os alunos ganham um certificado, um avental e, é claro, podem levar embora os bombons produzidos em aula. As aulas podem ser em italiano ou em inglês. (Confira aqui mais infos sobre os rápidos cursos).

Aula de chocolate na fábrica da Perugina (Foto: Tina Bornstein)

Um pouco da história do Baci Perugina
A história do chocolate é fascinante. Uma romance italiano, que começou com Luisa Spagnoli – uma visionária nata que, desde 1907, mantinha uma pequena loja e que, mais tarde, tornou-se a gigante fábrica da Perugina. Em 1922, ela misturou avelãs picadas e chocolate derretido, criando um recheio cremoso coroado com uma avelã inteira, cobrindo todo o confeito com  chocolate escuro personalizado, que é outra marca registrada apenas do Baci. O resultado foi um chocolate em forma de punho, que inspirou seu nome original, Cazzotto, palavra italiana para “soco”.

Foi Giovanni Buitoni, cofundador da Perugina e quem reestruturou a empresa no seu início, que mais tarde pensou em mudar o nome do chocolate. Para ele, cazzotto era um nome pouco apropriado para a preciosa criação de Luisa, e ao invés de pedirem um “soco” aos vendedores, os fregueses pediriam um Baci, tradução do italiano para ‘beijos’. O novo nome logo se tornou símbolo de seu romance secreto com Luisa.

Vários anos mais tarde, um dos novos diretores da fábrica teve a ideia de incluir em cada Baci um bilhete, com mensagens românticas dentro da embalagem estrelada. Ele se inspirou no amor secreto entre Luisa Spagnoli e Giovanni Buitoni, pois, de acordo com a lenda, Luisa usava bilhetes de amor semelhantes, escondidos dentro dos chocolates Baci, para se comunicar com seu amado. A paixão do casal surgiu durante o tempo que passaram, dirigindo os negócios da Perugina. Mas, como membros respeitados da comunidade perugina, o romance teve de permanecer como segredo.

Com o acréscimo dos icônicos “bilhetes de amor”, o Baci Perugina deixou de ser apenas um chocolate – tornou-se uma lenda. As mensagens românticas são hoje oferecidas em vários idiomas, entre eles italiano, inglês, francês, espanhol, chinês e, agora, em português.

As várias versões do Baci
A versão tradicional, com o chocolate meio amargo em volta, sem dúvida é a preferida da maioria e a versão mais consumida ao redor do mundo. Mas, eles também fabricam o Baci ao leite, com chocolate branco e o lançamento do ano: um Baci com chocolate amargo e nibs de cacau no lugar das avelãs do recheio. É absurdamente gostoso!! No Brasil, é mais fácil encontrar a versão tradicional, mas estamos torcendo para chegarem todas as versões em breve. Aquele chocolate que vale cada caloria.

    Relais Dell`Olmo

    Onde Ficar
    Charmoso e bem cuidado, o hotel fica a cerca de 5km do centro histórico da cidade. Imperdível fazer pelo menos uma refeição em seu restaurante, o Osteria dell`Olmo, com comida típica italiana impecável. Se estiver calor peça para sentar no jardim.
    http://www.relaisolmo.com/

    Posts relacionados