Hong Kong é uma ilha localizada no sudeste da China. É plural, cosmopolita, globalizada e exótica. Uma festa para os olhos!  Aliás, é a cidade com o maior número de arranha-céus do mundo – com bares instalados em seus rooftops. A vista? Um espetáculo! Subir ao mirante Victoria Peak ou cruzar a baía para ver o bairro Kowloon são ótimos exemplos disso.  O economista e travelholic Thiago Takahashi* divide abaixo os melhores destinos gastronômicos nessa cidade de culinária impactante

Antes de revelar as preciosas dicas para mergulhar nos highlights de Hong Kong, algumas considerações: a cidade fica nebulosa com frequência, então cheque a previsão antes de investir muito tempo por lá. Depois, um alerta aos amantes da moda: caminhar por suas ruas agitadas dá a impressão de que há uma loja da grife Louis Vuitton a cada esquina, e é verdade. Hong Kong é lotada de shoppings, que conectam prédios e são fantásticos. Para os foodies, um pedido: há muitos restaurantes nos malls e a culinária local é maravilhosa, mas não ache que só se faz isso em Hong Kong! Por fim: o metrô funciona superbem, mas o taxi é barato. Para quem pede Uber Black, por exemplo, a chance de um carro modelo Tesla te buscar é altíssima. É que o governo criou um incentivo ao carro elétrico.

Veja também:
Bvlgari inaugura hotel em Xangai
Destino Tailândia: três maneiras únicas de descobrir esse paraíso asiático
O bar mais alto do mundo fica em Hong Kong!

Hong Kong Park (foto: Shuterstock)

Hospedagem: ao redor do Hong Kong Park estão vários dos melhores hotéis da cidade. A maioria com vista fantástica para o Victoria Peak ou para a baía de Hong Kong. Para quem quer fugir desse circuito, vale considerar Kowloon. Sugestão: Shangri-La Hong Kong.

Gastronomia:
Tsui Hang Village
Comida cantonesa incrível! Vale a pena fazer reserva, mesmo se for no almoço, porque pessoas que trabalham por perto enchem o local. Destaque para a Flor de Lótus frita, para o Xiaolongbao, um pão cozido a vapor, e o rolinho primavera, que é bem diferente do que comemos no ocidente.

Crystal Jade La Mian Xiao Long Bao
Dumpling supersuculento! Quando fui, tinha uma versão especial de trufa negra. Na casa, o cardápio é bem visual e por ser rede é bem fácil de fazer o pedido. Há vários pela cidade e é ideal pra quem quer subir 1 degrau na complexidade da comida chinesa sem pular para fase ultra avançada dessa vasta culinária.

Sevva
Ao invés de subir alto na cidade, experimente também admirar a vista da bela varanda que revela boa parte da cidade. Para grupos, recomendo pular o jantar fusion e curtir só os drinques.

Porções servidas do restaurantes 65 Peel (Foto: divulgação)

65 Peel
Localizada em uma das áreas mais descoladas da cidade, a LAN Kwai Fong, reduto de casas para comer, beber e dançar, o restaurante é legal, serve pratos generosos para compartilhar. Destaque para o arroz com pato e os camarões gigantes.

Para quem é obcecado por café da manhã: a refeição dos hotéis de rede é ótima. O do Shangri-La, por exemplo, impressiona. Há comida chinesa, ovos de vários tipos, inclusive o ovo japonês de Nagasawa, servido bem mole. Tem estação de omelete, máquina de suco… enfim, um dos mais completos que já fui.

* Thiago Takahashi estudou Economia e Alemão na Saint Louis University, em Missouri, Estados Unidos. Brasileiro morando em terras norte americanas desde 2001, é fanático por fotografia, viagem e gastronomia. Foram estes interesses que o levaram a conhecer o Viagem & Gastronomia no Instagram (@viagemegastronomia). Em suas viagens pelo mundo, a trabalho pela Fintech, procura sempre levar sua câmera e aprender mais sobre cada local através das refeições, um momento onde é possível se conectar com pessoas e culturas. Cada viagem aumenta seu bucketlist, que possui um projeto ambicioso: retornar a todos os lugares que visitou, mas, nessa segunda vez acompanhado pelas filhinhas e esposa, também amantes de viagem!

Posts relacionados