Rogê David, da GSP Travel, é apaixonado por destinos incríveis e inesquecíveis. Por isso, detalha tantas informações sobre suas viagens. Aqui ele nos conta quais são os melhores países para fazer um ótimo safári. Confira todos os detalhes abaixo

Por Rogê David 

“Meu sonho é fazer um safári na África”. Essa frase é comum e escutamos daqueles que sonham em ver os animais em seu habitat. Porém, acontece que é muito vaga. A África é um continente gigante, formado por 54 países independentes. Logo, aonde é possível fazer “esse tal” safári? Os melhores países são: Botsuana, Tanzânia, Quênia e África do Sul.

África do Sul 

É, sem dúvidas, o país de mais fácil acesso e com o maior número de opções de lodges e parques nacionais. Além de ter voo direto do Brasil, as reservas possuem aeroportos mais estruturados, com aviões maiores e ideais para quem tem aquele frio na barriga ao embarcar em aeronaves menores. Na África do Sul, as reservas para safári mais estruturadas são: Sabi Sands, MalaMala e Phinda. Os dois primeiros fazem fronteira aberta com Kruger National Park. Phinda é uma reserva inteira cercada e pode ser acessada por avião pequeno (tem pista de pouso asfaltada) ou de carro, há três horas de Porth Elizabeth. O Kruger National Park é a maior área protegida do país, com 20 mil metros quadrados; possui uma abundância de animais e isso inclui os famosos “Big 5”: leão, leopardo, rinoceronte, elefante e búfalo. A reserva é loteada entre áreas de preservação (o acesso de jipes de safáris é restrito), fazendas particulares e reservas de safári, sendo MalaMala e Sabi Sands com as melhores estruturas turísticas.  Phinda é uma reserva privada, formada em 1991, com 170 quilômetros quadrados, com sete ecossistemas distintos, que vão desde savanas fechadas, até a áreas abertas de areia. Foi cedida pelo governo para a empresa &Beyond, que possui quatro propriedades de excelente estrutura.

Safari na Africa
Os rinocerontes fazem parte do “Big 5” no Kruger National Park (Foto: Shutterstock)

Tanzânia e Quênia 

Safari na Africa
Masai Mara, no Quênia, é uma das reservas que possuem mais animais selvagens no mundo (Foto: Shutterstock)

São dois países fronteiriços que dividem a mesma reserva de animais: Serengetti (Tanzânia) e Masai Mara (Quênia). Aqui se encontra a maior quantidade de animais selvagens do mundo. É a casa da famosa “Great Migration”, aonde os animais seguem, em um círculo virtual, rodando os dois países durante o ano. Obviamente que, quando se escolhe ficar em um lodge (cabanas) na época em que está acontecendo a migração, os valores são mais altos. Mas, se optar por um lodge oposto à migração também terá vantagens, pois há grupos de animais residentes e em grande quantidade, além de possuir valores mais em conta. O acesso é basicamente feito por Nairobi, capital do Quênia, em aviões pequenos, que aterrissam em pistas de terra batida. Portanto, a aventura já começa no ar.

Além desses dois principais parques, no Quênia, existem micro-reservas como Amboseli (rica em elefantes), Ol Peteja, Samburu, Meru, entre outros. Existe uma empresa que faz um safári aéreo ligando todas as reservas em uma semana. Na Tanzânia, além do Serengeti, é bacana visitar a famosa cratera de Ngorongoro – um local inusitado com todos os animais espalhados pelos seus 300 quilômetros quadrados de área. É conhecida como a Arca de Noé da África Ocidental.

Botsuana

É um país com uma enorme diversidade de animais e ecossistemas. A maior vantagem nacional é abrigar o famoso Okavango Delta, que proporciona uma concentração de bichos à beira de suas águas e experiências diferentes, como passeios de barco e canoa.

Safari na Africa
Uma das vantagens de Botsuana é poder fazer o safári de canoa (Foto: Shutterstock)

São muitos detalhes que envolvem uma viagem para safári, como: qual época ir; o que levar; quais vacinas são necessárias; se visto é preciso; passeios locais e por aí vai. Viajar para esses lugares exige um estudo complexo e detalhado para que se tenha uma experiência inesquecível e consiga aproveitar cada minuto na selva.

Posts relacionados