Uma nova moda gastronômica invadiu São Paulo. Para as pessoas que não têm medo do diferente, que estão abertas a compartilhar mesas e ideias com desconhecidos e que adoram descobrir novos sabores. Se identificou? Então conheça os jantares secretos.

Foto meramente ilustrativa: Shutterstock

Empresas especializadas em jantares fechados têm se popularizado. É divertido descobrir horas antes o cardápio e o lugar secreto que você tem que correr pra chegar a tempo. A modalidade de “jantares fechados” nos sites de compras coletivas está ganhando cada vez mais opções e adeptos. Marcas como a Coca-Cola, Tanqueray e a Land Rover, por exemplo, embarcaram na ideia, patrocinando ações deste tipo. Abaixo, mostramos como funcionam três dessas experiências:

Duas Terezas, uma experiência sensorial
Esqueça o celular no bolso ou na bolsa. A partir do momento que você entra no restaurante é convidado a se “desligar” do mundo. As fotos para o Instagram ficarão para depois. Antes de começar o menu, uma massagem em um spa ali do lado para relaxar. Depois disso, você se transporta para outra realidade, onde não é possível enxergar. O paladar se embaralha um pouco e fica mais sensível por causa de uma venda. Audição e olfato antenados porque o prato chega e você é convidado a aguçar os outros sentidos.

Jantar às escuras do Duas Terezas (Foto: Bruno Góis)

“Será que é possível descobrir cada coisa?”, indaga a chef Mariana Pelozio, que entrega papel e caneta para cada um opinar o que experimentou em cada rodada. Vinhos tinto, branco, rosé e espumante também são colocados à prova. Ao fim, discussão do que cada um sentiu ao comer com a mão (em alguns casos), já que fica quase impossível cortar os alimentos e levá-los à boca sem o auxílio da visão.

No clique, os pratos servidos no jantar (Foto: Bruno Góis)

Nesse menu, coisas quase inimagináveis e que pregavam peça ao paladar. Um vinagrete de abobrinha jurava-se que era de pepino (olha a foto acima). E também um creme de pequi com espuma de tomate, batata sauté e presunto parma que lembrava bacon. Um outro prato tinha linguini com bochecha de porco e beterraba servida com panceta suína. Até a sobremesa dava um nó na cabeça: creme de lavanda com lichia e farofa de bolacha champagne. Como dá pra perceber nas fotos, os pratos não têm lindas apresentações de propósito. Afinal, você está vendado a maior parte do tempo!

FYI: Outra rodada desse jantar às cegas acontece em 9 de março e faz ode ao mês das mulheres. “Um cardápio inspirado em mulheres fortes”, diz o anúncio.


Jantar Secreto: uma visita à casa do chef
Já pensou ir comer na casa de um chef bacana e ainda sair de lá com histórias sobre as receitas? O chef Gustavo Rigueiral conta suas experiências na cozinha, de como ele começou até de onde vieram suas receitas. Enquanto ele serve e prepara os pratos, você pode ir até a cozinha conhecer (desde que não demore muito para tirar a foto, nosso caso). Na mesa, sua mulher, a jornalista Larissa Januário (do blog Sem Medida), conta sobre paladares de vinho e o que combina com determinada receita. Aqui se você quiser levar sua bebida alcoólica pode levar sem vergonha alguma.

No dia que participamos, o chef preparou como prato principal: pernil de cordeiro com vagem francesa salteada e aligot de mandioquinha (uma espécie de purê com queijos meia-cura e minas). Antes de virar redução, o molho foi preparado com limão do Oriente Médio, seco à sombra. Farofa de mandioca artesanal tostada na manteiga noisette com aroma de avelã. Uma das entradas foi bruschetta de linguiça Blumenau (curada a frio), com molho de picles e azeite, e a outra foi chips de mandioca, banana e cenoura, acompanha ketchup de goiabada, maçã verde e especiarias.

Aqui, o pernil de cordeiro com vagem francesa salteada

Neste, fomos à convite da Coca-Cola experimentar o refrigerante de 1l em garrafa de vidro. FYI: Há uma rodada deste jantar agendado para sexta-feira (10.02), às 20h30. Reservas pelo e-mail [email protected].


Fechado para Jantar: sempre um lugar novo a desvendar
Depois de confirmar a ida, chega o endereço: será no Centro Cultural São Paulo (CCSP). Mas a entrada não é aquela padrão, pela Rua Vergueiro. O evento acontece no subsolo do espaço, com entrada pela Av. 23 de Maio. Com uma iluminação escura, quase breu, o evento recebe para drinks em uma ante-sala. Ali, são servidos petiscos, como biscoito de polvilho e bolinhos de feijoada. Antes de ir à sala, um vídeo explica o porque da reunião e a escolha do cardápio: quatro pratos típicos de diversas regiões brasileiras contam jornada de diferentes pessoas, que circularam o Brasil em um projeto chamado “Filhos deste Solo”, de uma marca de carros.

Ambientação da sala do experimento Jantar Secreto, no CCSP (Foto: Acervo Pessoal)

Na sala de jantar, é preciso encontrar seu lugar. Pede-se para que, ao levantar para buscar água ou vinho, ofereça para o (des)conhecido ao lado. No cardápio, para começar, pães e queijos artesanais. Entra em cena cada uma das jornadas: atum fresco marinado em caldo de cajú e castanhas (Acolhedora), costelinha de porco na lata, legumes da horta glaceados e ora-pro-nobis (Criativa); chambari de Tocantins (Artesanal), tostado de doce de leite com uvas (Guerreira). Para acompanhar, vinhos, cerveja e bar by Diageo: Ketel One Vodka, gim Tanqueray e cachaça Ypióca.

Um pouco do que foi o cardápio dessa experiência de sabores (Fotos: Reprodução/Instagram)

Fomos convidados pela Tanqueray a experimentar o cardápio da turma de Raphael Desperite!


OUTRAS EXPERIÊNCIAS
Fique de olho em sites como o do Food Pass, que funciona como uma espécie de curadoria de eventos, onde você já garante seu acesso. Outras marcas semelhantes às indicadas acima são a Casa Volver, Jantares Clandestinos (Trailer 55), Garfo Veggie e Ateliê no Escuro, que promovem este tipo de ação.

Posts relacionados