A gastronomia brasileira já é bastante consagrada em lugares como São Paulo e Rio de Janeiro, afinal, são cidades prósperas e ganham novos restaurantes a cada dia. Mas, ao redor deste imenso país, há boas casas a serem descobertas – de norte a sul, de leste a oeste. Por isso, fugindo do circuito gastronômico SP-RJ, desembarcamos em Florianópolis, para desvendar quais são as delícias da ilha da magia. Confira todos os detalhes abaixo

Chef Alysson Muller é responsável por três restaurantes em Florianópolis (Foto: divulgação)

Florianópolis, capital de Santa Catarina, já é conhecida pelas suas clássicas festas de fim de ano, com jovens e muita badalação nas praias espalhadas pela ilha. Mas, provavelmente, poucos sabem que por ali, além do mar, existem ótimos e inúmeros restaurantes que merecem a atenção de quem desembarca na cidade. E, para ajudar a contar essa história, anote este nome: Alysson Muller.

Alysson é um dos responsáveis pela constante evolução na gastronomia sulista. Atualmente, comanda três casas em Floripa: Rosso, Artusi e D.O Pescador. Cada restaurante conta com uma proposta diferente, mas todos têm serviço atencioso e pratos preparados com maestria. Hoje em dia, tornou-se mais um restauranteur, especificamente. Ele participa ativamente na criação dos pratos – afinal, essa é sua especialidade, mas também faz parte 100% dos bastidores e tem relação direta com fornecedores e clientes, para que suas casas sigam um ótimo padrão de qualidade.

Alysson, ao abrir o Rosso em 2010, foi na contramão dos restaurantes da ilha e inovou trazendo peixes frescos, moluscos e frutos do mar. No primeiro ano quase faliu, pois o público de Florianópolis não estava preparado para receber este tipo de gastronomia – não que fosse extremamente requintada, mas estavam acostumados com camarões servidos na moranga, peixes como salmão e alguns outros congelados. E, aos olhos de quem via, o que o Rosso servia era um menu totalmente inovador. O intuito do chef e seus sócios não era oferecer uma cozinha completamente diferente do que as pessoas já estavam acostumadas, mas provar que eles poderiam comer com mais qualidade ao consumir insumos frescos. Depois de um período conturbado, o Rosso se firmou na ilha e hoje é grande sucesso de público. Para atender toda a demanda o restaurante funciona full time, pois o chef diz que “turista não tem hora”.

Arroz de polvo com linguiça Blumenau do Rosso (Foto: Carol Fiacadori)

Este é o seu restaurante mais antigo e pelo trabalho desenvolvido com polvo por lá que foi coroado, por bastante tempo, como o “Rei do Polvo”. Localizado no bairro histórico de Santo Antônio de Lisboa, a casa é a beira-mar e tem um ambiente descontraído, onde é possível sentar-se na varanda, pisar em chão feito de conchinhas, e apreciar o vai e vem das ondas do mar. Sua estrutura foge de uma cozinha convencional e os cozinheiros trabalham em contêineres e executam perfeitamente os pratos. No cardápio, 70% dos pratos são elaborados com polvo (já que essa é sua marca registrada) e tem outras ótimas sugestões, como casquinha de siri, feita com siri desfiado refogado em crosta de salsinha e salsão empanado com farinha de pão fresca e grana padano. O camarão GG também é uma boa pedida; o chef utiliza o sistema de congelamento à bordo, ou seja, logo que o camarão é pescado vai para um congelador e só é descongelado quando for servido, dessa forma, o produto chega à mesa fresco. Em uma das receitas mais pedidas da casa, o camarão é empanado e servido com molho tarê. Entre os pratos principais, um clássico de Alysson Muller é o arroz de polvo servido com linguiça Blumenau e é simplesmente imperdível. Para o preparo do arroz, o chef utiliza o caldo do cozimento do molusco e faz um ragu bem temperado, que ressalta os sabores de ambos os ingredientes – tanto do polvo quanto da linguiça. A maciez do molusco mostra todo o talento que vem diretamente da cozinha.

Veja também:

Ponta dos Ganchos, em SC, eleito o melhor hotel das Américas

Um ingrediente típico de Santa Catarina é a ostra e, como não seria diferente, nas mãos do chef recebe um cuidado especial. Ele afirma que pesca ostras de mar aberto, devido a temperatura da água, que é bem mais gelada, e deixa o molusco mais saboroso. Fora isso, diz que as ostras que ficam perto das baias têm muito lodo e não são servidas em sua melhor versão. Em todas as casas de Alysson é possível encontrar uma porção bem generosa – seja in natura (com variações de vinagretes para acompanhar) ou gratinada com diferentes tipos de queijos.

Ostras frescas disponíveis em todas as casas de Alysson Muller (Foto: Carol Fiacadori)

O D.O Pescador, como já se imagina, tem uma grande variação de peixes. Inicie sua experiência com uma leva de ostras, servidas com vinagrete de melão e seja feliz. Como o próprio chef diz: “é um beijo no mar”. Com porções bem servidas, é o lugar ideal para um típico almoço em família, com boa comida posta à mesa e pratos principais servidos repletos de sabor. Peça um vinho branco, e harmonize com o Bacalhau à Danyele, uma das excelentes opções do cardápio. Ele é feito por cima de uma camada de cebolas caramelizadas e acompanha ovo mole, legumes, arroz de girassol e batatas ao murro. O preparo cuidadoso faz com que as pétalas do peixe se desmanchem, com uma incrível maciez. O arroz de camarão também vale a pena ser provado, já que tem uma cremosidade certeira e um tempero que fica na lembrança. Para terminar a experiência, o chef recomenda uma sobremesa que desperta curiosidade quando é descrita, a sopa de ameixa. É uma espécie de creme, feito com a própria fruta, que deixa o sabor extremamente marcante, afinal, parece que você está realmente saboreando a ameixa in natura. É finalizado com o sorvete de baunilha, que quebra a acidez do creme. O D.O está localizado no Hotel Blue Tree Florianópolis e tem um ambiente mais clássico. Alysson também é responsável por toda a gastronomia do empreendimento, desde a operação do D.O até o que é servido nos quartos, além do café da manhã.

Steak tartar à moda siciliana do Artusi (Foto: Carol Fiacadori)

Se você ainda deseja provar outras versões de Alysson Muller, o Artusi é a grande aposta. A casa tem inspirações italianas e um ar romântico, por isso, não se espante caso tenha fila no aquário de espera. Cotado como um dos melhores lugares da ilha para um jantar a dois, o restaurante tem ambiente à meia luz e um cardápio com inspirações italianas. Comece pelo couvert da casa, onde é servido um patê de linguiça Bluemenau com pães de fermentação natural. Nas entradas, o steak tartar é pedida obrigatória! Servido à moda siciliana, tem um formato redondo e chega à mesa com pão quentinho, ovas de capelin e um ótimo patê de alcaparras. O nhoque de mandioquinha é o clássico do Artusi e o prato mais pedido do menu, servido com fonduta de grana padano com filé mignon ao molho roti – é possível pedir meia porção e é bem generosa!

Dito tudo isso, é claro que Florianópolis é uma das grandes cidades para deixar no radar gastronômico. A ilha, além de toda a beleza natural, tem boas pedidas em restaurantes e bares que valem a pena serem visitadas.

Serviço: 

Artusi Ristorante: Rua Bocaiúva, 2090 – Centro / Tel: (48) 3037-2228

D.O Pescador: Rua Bocaiúva, 2304 – Centro / Tel: (48) 3207-1784

Rosso Restaurante: Rodovia Gilson da Costa Xavier, 201 – Santo Antônio de Lisboa / Tel: (48) 3206-7665

Onde os chefs comem? Com Alysson Muller, em Florianópolis

*A jornalista viajou a convite do chef Alysson Muller

Posts relacionados