A cidade que não para está lotada de novos restaurantes. Em março, fizemos uma matéria com os 10 novos restaurantes de São Paulo, mas acredite: a capital paulista já tem doze novos endereços incríveis que merecem ser visitados. Confira!

Giulietta Fogo & Vino, do badalado chef Rodolfo de Santis 

Scottadito (costela) de cordeiro do Giulietta Fogo & Cucina (Foto: Daniela Filomeno)
Scottadito (costela) de cordeiro do Giulietta Fogo & Vino (Foto: Daniela Filomeno)

A nova casa do chef Rodolfo de Santis (leia-se Nino, Da Marino e Salumeria) é nos moldes dos bares speakeasy, escondido atrás de uma porta nos fundos do Salumeria, no Itaim. Seu menu é com base no preparo no fogo, com muitas carnes saborosas e deliciosas entradas, como o Maritozzo, um pão recheado com ragú de costela ou a carne cruda alla piemontesa, cortada na ponta de faca, misturada com cevada crocante, coberta por lascas de pecorino e uma gema crua. Como principal peça ossobuco com tutano com risotto alla milanese, o scottadito (costela) de cordeiro acompanhado com nhoque de semolina gratinado, impecável, ou o mignon que chega com uma cebola gratinada que desmancha na boca. Há opções vegetarianas como a beterraba assada, servida com ricota e laranja, berinjela grelhada, com tomate e burrata, entre outras. Como todas as casas do Rodolfo já é sucesso e vive com fila na porta. Vida longa ao Giulietta!

R. Jerônimo da Veiga, 36, Itaim / Tel: (11) 3368-6863 / Funcionamento: de segunda a sábado, das 19h à 0h (fecha domingo)

Imakay, oriental com influências peruanas 

Imakay, que significa “conceito” em quíchua (dialeto indígena da época do Império Inca), chega a São Paulo com culinária oriental e fortes influências peruanas. Os jovens chefs Luís Eduardo Mora e David Rodrigues são os nomes na linha de frente da casa. O internacional Mora, da Costa Rica, tem passagens nos aclamados restaurantes de Lima, Rafael Osterling e Tragaluz, e em São Paulo é o responsável por assinar os pratos quentes, muitos deles finalizados na parrilla. O piauiense Rodrigues comanda o balcão de sushis com um menu autoral e pratos clássicos, com peixes feitos com processo de maturação ou o incrível buri cortado meticulosamente em finas lâminas com molho ponzu e finalizado com pesto da casa e ovas de massago; também é preparado aos olhos dos clientes o coral de conchas, com vieiras, purê de ervas, leite de tigre, picles de aji amarillo, finalizado com ovas tobiko. Da cozinha alguns destaques são o atum selado na parrilla acompanhado de vagem tostada e dois molhos clássicos peruanos, o anticuchero e huacaína, o Polvo Estofadito que é marinado em chimichurri feito na casa e finalizado na brasa, acompanhado de quiabo defumado e mini alface romana cítrica. Da coquetelaria Márcio Felipe, finalista no World Class 2015 e 2016, traz para a carta drinques exclusivos e ainda seleção de clássicos. Márcio traz uma nova experiência com o drinque Houdini, inspirado no lendário ilusionista de mesmo nome, que traz além do bourbon, algodão doce de campari que desaparece aos olhos do cliente quando finalizado na mesa.

Rua Urussui, 330 – Itaim / Tel: (11) 3078-7786 /Funcionamento: segunda a quinta, das 19h às 23h; sexta e sábado, das 19h às 24h. Ainda em soft opening, em breve abrirá para almoço. 

Lolla, pratos feitos na parrilla e no pit de defumação

O restaurante Lolla apresenta uma cozinha variada, com foco em fogo e na brasa, e tem como estrelas principais a parrilla e o pit de defumação. Com uma cozinha aparente, logo na entrada e vista da rua, saem de lá carnes, peixes, frutos do mar e legumes. O cardápio é objetivo e descontraído. Na parte “Para comer com as mãos”, destacam-se lula recheada com couscous de costela defumada; espetinho de camarão, polvo, pancetta e picada catalã; e tortilha de berinjela, salsa de tahine, picles de couve-flor e sumak. “No meio da mesa” tem opções como batata doce na brasa e huancaína; arroz de cogumelos, defumado do dia e ovo frito; e abóbora e cebola na brasa, hommus e dukkah.  Já a seção “grelha e pit” apresenta pratos como o flat iron, o assado de tira suíno; e o polvo, camarões e conchas. O Lolla divide o mesmo endereço com o Lollita, uma grande janela de onde saem opções de sanduíches, batata frita e salada, em sistema take and go, para saborear no parklet ou levar para casa.  Entre os destaques, o sanduíche de costela, com pão levemente tostado, costela preparada por 8 horas no pit, que desmancha na boca, acompanhada de uma combinação de pamonha, salsa verde da casa e jalapeño. Outra boa pedida é o banh mi de cogumelos com pão bossa nova, picles da casa e aioli de sriracha.

Rua Manuel Guedes, 545 – Itaim / Tel: (11) 3624-8142 / 3624-8124 / Funcionamento: segunda, das 12h às 15h; de terça a quinta, das 12h às 15h e das 19h às 23h; sexta, das 12h às 15h e das 18h às 00h; sábado, das 12h às 00h; domingo, das 12h às 17h. 

Tontoni, irmão mais novo do consagrado TonTon 

Tontoni Trattoria
Orecchiette alla Marinara com polvo e camarões do novo Tontoni Trattoria (Foto: Giovana Balzano)

O chef Gustavo Rozzino, dono da consagrada casa francesa com sotaque brasileiro TonTon, volta às suas origens e abre o Tontoni, uma autêntica trattoria. Com clima intimista, a proposta é ser o mais fiel possível à culinária italiana, com ótimos ingredientes, excelente execução e um super custo-benefício. Entre as massas, todas feitas na casa, o nhoque, do tipo que derrete na boca, aparece em versões ao Sugo, Bolonhesa e com Trufas (o molho a bolonhesa da casa dá vontade de comer de colher de tão saboroso); outras boas pedidas como principal são a Lasagne alla Bolognese, Orecchiette alla Marinara com polvo e camarões ou a bem servida Cotoletta di Maiale. Há ainda outros destaques como a entrada Insalata di Pasta, com fusilli, atum, alcaparrone, tomate, vagem e pesto, e o Carpaccio de polvo, servido em finas fatias com tomates picados, salsão e alcaparras, no molho cítrico de limão siciliano. Para finalizar, peça o TiramiGiù ou a Torta de ricota fresca com passas ao vinho com caulis & tartar de morangos.

Al. Joaquim Eugênio de Lima, 1.537, Jardins / Tel: (11) 3051-4750 / Funcionamento: terça a quinta, das 12h às 15h e das 19h30 às 23h / Sexta, das 12h às 15h e das 19h30 às 23h30 / Sábado, das 12h às 16h e das 19h30 às 23h30 / Domingo, das 12h30 às 17h. Fecha segunda. 

Ferra, no Jockey Club 

FERRA_JOCKEY-CLUB
Novo Ferra no Jockey Club (Foto: divulgação)

No charmoso Jockey Club abriu as portas o Ferra, que diz que sua cozinha é global, sem fronteiras, mas com raízes. O ambiente está maravilhoso e é uma ótima opção para quem deseja tomar um drinque e petiscar com os amigos. Sob o comando de um criativo gastronômico liderado pelo chef João Alcântara, o menu traz opções originárias do mar, terra e pasto.

Av. Lineu de Paula Machado, 1263/ Tel: (11) 99990-2481 / Funcionamento: de quarta a sexta-feira, das 12h às 15h e das 18h até o último cliente / Sábado abre às 12h para almoço e não fecha até o último cliente do jantar / Domingo, das 12h às 18h e depois recebe clientes para o sunset e fica aberto até o último cliente. 

Satú, comida brasileira sem regionalismo! 

Moqueca de peixe e frutos do mar do Satú (Foto: Tina Bornstein)
Moqueca de peixe e frutos do mar do Satú (Foto: Tina Bornstein)

Um Brasil surpreendente. Essa é a premissa do Satú, novo empreendimento do chef Flávio Miyamura com a dupla Amilcar Azevedo e Paulo Sousa, os sócios por trás do Nou. Em ambiente acolhedor, com um jardim vertical maravilhoso logo na entrada dando as boas-vindas, espere por uma gastronomia brasileira, mas sem regionalismos. De entrada, peça o Lagostim na brasa com creme de milho e tucupi ou a Mandioca cozida na manteiga de garrafa, queijo coalho na brasa e melaço de cupuaçu – se estiver com vontade de uma boa fritura peça os Pastéis de rabada e de taioba com Catupiry. Como prato principal, a Moqueca de peixe e frutos do mar com arroz e farinha d`água com banana é absurdamente saborosa e bem servida, assim como o Cupim assado glaceado com purê rústico de batata doce e cebola defumada ou o Leitãozinho crocante com purê de castanha de caju e caldo de carne. A carta de drinques e vinhos surpreende, todos brasileiros! As bebidas “marginais”, termo repetido pelos sócios, refere-se ao uso de destilados nacionais pouco explorados, como a tiquira (resultado da destilação artesanal da mandioca fermentada, que aparece no Caru, coquetel que ainda leva shrub de gengibre, tônica spicy e alecrim) ou a própria cachaça (protagonista de drinques como o Rei do Cangaço, com rum, virgulino ferreira, orgeat, abacaxi e cajuína, e do Carcará, com suco de limão, cajuzinho do cerrado e capim santo).

Rua Ferreira de Araújo, 450 – Pinheiros / Tel: (11) 3032-1029 / Funcionamento: segunda a sexta-feira, das 12h às 15h e das 19h às 24h / Sábado, das 12h às 17h e das 19h às 24h / Domingo, das 12h às 17h.

Cepá, foco na “comida viva” no Tatuapé

No Cepa, restaurante comandado pelo chef Lucas Dante e pela sommelière Gabrielli Fleming, os peixes e os legumes são sempre os mais frescos do dia, e outros itens – como as carnes, os derivados de leite e algumas frutas – passam por processos de preservação e transformação que muitas vezes são executados ali mesmo na cozinha do local para ficarem mais saborosos e apetitosos. “Cepa, por definição, é uma linhagem de microrganismos de uma mesma espécie. São algumas dessas cepas que nos ajudam na produção de itens importantes do nosso cardápio, como os embutidos, os queijos e, claro, os vinhos”, explica Gabrielli. “Todo dia curamos aqui mesmo carnes suínas, bovinas ou de peixes, ou elaboramos picles, chutneys ou compotas, além dos pães de fermentação natural. Essas técnicas de conservação são a essência e o diferencial do trabalho que fazemos no Cepa. Só usamos o freezer para as sobremesas. Todo o resto é extremamente fresco ou passou por um desses processos de conservação para manter suas propriedades”, complementa Lucas. O sucinto cardápio tem apenas oito opções de entradas e quatro de pratos principais. Para dar início aos trabalhos, a tábua de curados (copa-lombo, lardo, pancetta e papada) com pão de campanha artesanal e picles; torrada de cogumelos com pancetta e emulsão gema curada; a terrine de porco com chutney e picles da casa; a fresquíssima burrata (fornecida pelo laticínio Sapore di Puglia, de Vargem Grande Paulista) acompanhada de beterraba orgânica da Fazenda Santa Adelaide (de Morungaba), vinagrete de mel e farofa de pão; ou ainda o escabeche do dia (que pode ser de peixe, de mariscos ou de lulas, de acordo com a sazonalidade desses frutos do mar). Entre os principais, o dianteiro de Angus com feijões brancos no jerez, a paleta de copa lombro com purê de maçã e brócolis, ou ainda o pescado do dia com purê de couve-flor e molho de mexilhõesPor fim, as sobremesas também brincam com o contraste entre elementos frescos e outros que passaram por processo de conservação. Desenvolvidas e preparadas sob o crivo de Marcelo Escañuela (confeiteiro e padeiro da casa), elas incluem delícias como a gelatina de espumante com peras confitadas e baunilha; uma compota de tangerina servida com ricota fresca e lascas de amêndoas tostadas ou ainda Chocolate, sorvete kefir. E, para fazer par com esses pratos salgados e doces, a carta de bebidas privilegia os vinhos elaborados por bodegas e vinícolas que apostam em uma produção mais limpa, com o mínimo de intervenção e sem o uso de aditivos. 
 
Rua Antonio Camardo, 895 (antigo 15) – Tatuapé / Tel: (11) 2096-0687 / Funcionamento: segunda à sexta, das 12h às 15h; segunda à quinta, das 19h às 22h30; sábado e domingo das 12h às 16h; sexta e sábado das 19h às 23h.

Ummi, novo hotspot no Itaim 

Sashimis do novo UMMI, no Itaim (Foto: Tina Bornstein)
Sashimis do novo UMMI, no Itaim (Foto: Tina Bornstein)

Na movimentada rua Bandeira Paulista está o novo UMMI, com um vasto cardápio comandado pelo sushiman Marco Katsumi (que já passou por casas como Kitchin, By Koji e Shunji Tomodachi) e pelo chef de cozinha Jun Hirooka (com experiências no Imai Izakaya, By Koji e Kitchin). Entre as entradas, separadas por quentes e frias, tatakis, temakis, carpaccios e tartares, entre outras delícias difícil de escolher! Vá no Onsentamago, um ovo perfeito feito em cocção em baixa temperatura com molho ponzu; o incrível Scallope Ummi, vieiras com molho do chefe de comer ajoelhada de tão saborosas; Wagyu Tataki, kobe beef semi selada com molho ponzu e cebolinha; Carpaccio Haddock com molho do chef.  Entre os pratos principais, os Makisuhis, com os hossomakis, como Neguitorô maki; Uramakis (também com uma ala de especiais); Oshizushis; Tempurá no shissô e Harujyo; Jyo Especiais; Sashimis; Combinados especiais. Sugestão? Pergunte o que tem de mais fresco e se surpreenda pelo sushiman. Para encerrar, destaque para o Crème blûlée de machá ou a inesquecível Cheesecake de tofú, torta de queijo de soja e calda de ume, entre outras delícias. Vale a pena conhecer esse restaurante que promete ser o novo hotspot dos apaixonados pela gastronomia japonesa.

Rua Bandeira Paulista, 676 – Itaim / Tel: (11)  3078-0288 / Funcionamento: segunda a quinta, das 12h às 15h, e das 19h até 0h; sexta, das 12h às 15h, e das 19h até 00h; sábado, das 19h até 00h30, e domingo fechado.

Muquifo, da Renata Vanzetto

Muquifo, novo restaurante da chef Renata Vanzetto (Foto: Carol Fiacadori)
Muquifo, novo restaurante da chef Renata Vanzetto (Foto: Carol Fiacadori)

Novo empreendimento da chef Renata Vanzetto, dona do EMA, Marakuthai, Matilda Lanches e MeGusta Bar, tem como premissa a comida afetiva, ou seja, aquela refeição com gostinho de almoço de domingo na casa da avó.  Em um ambiente totalmente descontraído e aconchegante, a chef garimpou peças incríveis do passado, como as mesinhas de fórmica, cadeiras de madeira, lustre, espelhos, além de louças antigas – como copos marrons e talheres. O cardápio é descrito em primeira pessoa, ou seja, pela própria Renata. A cada item, uma dedicatória. A casa sugere que as entradas sejam compartilhadas, sem frescuras e, que em algumas delas, os talheres sejam deixados de lado. Como é o caso do Bolinho à Matriciana, que é o tradicional espaguete feito com guanciale e molho de tomate, enrolado e frito; as Conchas do Mar vêm em uma panelinha com mexilhões e vôngoles na concha, puxados no alho assado com gordura de porco. A ideia é comer com as mãos e aproveitar o pão, que chega à mesa quente, para molhar no caldo extraído. Entre os principais, a Batata da Vó Cida é um dos destaques: batata assada com creme de leite de lata e manteiga com caldo mágico industrializado (esse mesmo que é crucificado na gastronomia atual), acompanha um filé mignon empanado na Panko e saladinha de rúcula. O fusilli à bolonhesa ganha um toque especial, um ovo frito para lembrar de sua mãe e é finalizado à mesa com creme de parmesão quente – servido em uma chaleira vintage. Já a massa da casa é um rigatoni à matriciana com lulas empanadas e bem crocantes. Por último e não menos importante, não vá embora sem a sobremesa. As boas pedidas são o Biriba da Vovó – o típico brigadeiro com bolacha maisena – e o pudim de leite “sem furinho”, como descrito no cardápio.

Rua da Consolação 2910 – Jardins / Tel: (11) 98232-7677 / Funcionamento: terça a sexta-feira, das 12h às 13h e 19h às 23h; sábados, das 12h30 às 17h e 19h às 23h; domingo, das 12h30 às 17h.

CÔL, especializado em frutos do mar  

O restaurante CÔL, nome com referência a coal (carvão em inglês), abre as portas tendo como protagonista os frutos do mar preparados na grelha ou forno à carvão. No bonito ambiente, com a grelha exposta ao público e uma grande árvore no meio do salão, peça de entrada as Ostras Frescas, Arancini de Camarão com toque de gengibre e Tartare de Saint Peter com maçã verde, rúcula e rabanete. Na sessão de principais, Cascata de Lagostas com arroz de jasmim e Peixe Pargo, servido inteiro, com legumes salteados – ambos para compartilhar; além de Arroz negro com frutos do mar finalizado com vieira selada. Também vale destacar a sessão de Robatas com opções como Camarão, Perna de Mini Lula, Shimeji & Shitake, Anchova Negra e Vieira.  O bar também ganhou atenção especial: a carta de drinques conta com 6 receitas autorais exclusivas da casa, incluindo uma que leva cartão ativado. Vale provar o Mar Negro – Bourbon Wild Turkey, carvão ativado, licor amaretto, limão e espuma de gengibre, além do Bristol – Gin Tanqueray infusionado com camomila, soda artesanal de abacaxi, limão e capim santo, finalizado com angostura bitter e hortelã.

Rua Manuel Guedes, 369 – Itaim / Funcionamento: almoço, de terça a sexta, das 12h às 15h, e jantar de segunda a quarta, das 19h às 23h; quinta e sexta, das 19h às oh30; sábado das 12h às 0h30; domingo das 12h às 17h.

Aizomê na Japan House

Tirashi do novo Aizomê da Japan House (Foto: Tina Bornstein)
Tirashi do novo Aizomê da Japan House (Foto: Tina Bornstein)

O incrível Aizomê, da mais incrível ainda chef Telma Shiraishi, ganhou um irmão dentro da Japan House, na Av. Paulista.  A proposta da nova casa segue a do centro cultural que é a de mostrar a contemporaneidade e a diversidade do Japão, incluindo a vertente gastronômica. Para a nova empreitada, a chef aposta no conceito dos settos – um conjunto de pratos variados que compõem uma refeição completa, equilibrada e saborosa. Um setto terá como base o gohan (arroz japonês), o misoshiru ou outro caldo e tsukemono. A isso acrescenta-se uma sugestão do dia, com opções variadas de carnes, peixes ou vegetarianas – de acordo com os ingredientes da estação, e completa-se o conjunto com pequenas porções de acompanhamentos. Outras opções são os tradicionais udon (massa japonesa de trigo em grossos fios) e o soba (massa fina de trigo sarraceno japonês), servidos em caldo frio ou quente e com várias sugestões de complementos. Pratos de sushi e sashimi também têm seu lugar no cardápio, mas com a proposta do Aizomê de sempre privilegiar os peixes e frutos do mar de pesca responsável e sustentável, assim como o saboroso tirashi – tigela de arroz temperado para sushi coberto pela seleção do dia de pescados e seus acompanhamentos. Outro capítulo que merece atenção especial são as sobremesas,  com preparações da confeitaria ocidental executadas com mais leveza e frescor, mescladas a sabores e ingredientes tipicamente japoneses. Além de uma carta variada de bebidas, o restaurante serve chá japonês e água – com e sem gás – à vontade por um valor fixo, sem o uso de garrafinhas plásticas. Todos os elementos e aspectos mais importantes da cultura alimentar e especialidades japonesas serão apresentadas em pratos ou cardápios temáticos, sazonais ou comemorativos, em consonância com as exposições da Japan House São Paulo e das manifestações gastronômicas festivas do Japão.

Japan House: Av. Paulista, 52 – Bela Vista (2º andar) / Não aceita reservas / Funcionamento: terça-feira a domingo, almoço das 12h às 15h / Chá da tarde das 15h às 18h. Não serve jantar.  

BBQ Farm, nova steakhouse na Rua dos Pinheiros 

O novo BBQ Farm, uma steakhouse de ar intimista e carnes de excelência, é a mais nova empreitada de Jorge Boratto Filho (Burger Lab e Churrascada) e Ney Corrêa (Meat&co). O aglomerado de gente na porta já indica o sucesso de seus cortes bovinos, provenientes de fêmeas criadas com respeito em fazendas parceiras, acompanhadas com cuidado desde o processo de fertilização (que garante a utilização de pelo menos 50% de animais das raças britânicas Angus e Hereford) até o abate aos 24 meses, passando por todas as fases de uma alimentação saudável, incluindo exames de ultra-som, respeitando rigoroso protocolo a ser seguido. A parrilla uruguaia é invariavelmente ocupada por steaks grelhados ao ponto, finalizados com sal inglês Maldon e ladeados por chimichurri, assim como por galetos desossados (marinado em iogurte e especiarias). O lugar que todo amante de carne precisa conhecer em São Paulo.

Rua dos Pinheiros, 265 – Pinheiros / Tel: (11) 3064-5448 / Funcionamento: segunda a sexta-feira, das 12h às 15h e das 18h às 23h; sábado, das 12h às 23h; domingo, das 12h às 18h.

10 sobremesas imperdíveis em São Paulo

 

Posts relacionados