A graciosa Alba, na Itália, é para se apreciar. Está localizada entre as paisagens deslumbrantes dos vinhedos da região de Piemonte e é dessas comunas que exalam o charme típico italiano. Com ritmo pacato, construções centenárias e gastronomia inesquecível, a bela cidade é famosa também pelas trufas brancas e pelos vinhos. Foi aqui que Carol Rabello, sócia da marca Iorane, desembarcou e divide com o V&G os points mais bacanas pela região

Uma das suítes do hotel, de decoração centenária (Foto: divulgação)

Onde ficar:
Hotel Relais San Maurizio
A história desse espaço mágico começa em 1619, quando monges cistercienses subiram a antiga Estrada do Sal e decidiram construir ali um mosteiro sobre as ruínas de uma capela construída um século antes. Em 1862, o mosteiro foi comprado pelos Incisa Counts – uma família nobre que o transformou em casa particular. 140 anos depois, mais precisamente em 2002, uma restauração foi realizada e preservou ao máximo o patrimônio – e todo o charme – herdado dos séculos anteriores e, assim, o Relais San Maurizio ganha vida. Hospedar-se aqui é como viajar no tempo! O antigo mosteiro e a nobre casa se transformaram em hotel cinco estrelas, graças a um banqueiro da região de Langhe, que investiu no local pelo sonho de dar ao território uma nova página para sua história. San Maurizio é hoje referência em hospitalidade, eno-gastronomia e guardião de antigas tradições. Seu entorno é todo natureza e, por lá, aproveita-se desse privilégio muito bem! Jardim de lavandas, horas ao lado de ovelhas, yoga ao ar livre e exercícios por caminhos de terra são algumas das atrações. Além, claro, de degustação de vinho.

12058, Santo Stefano Belbo

Hotel Castello di Grinzane
Antes de falar sobre o castelo, uma pausa para admirar seu redor. Impossível não se deslumbrar com as colinas recheadas de vinhedos. Até as névoas tem seu charme e arrebatam a paisagem, que é de babar. Sobre o castelo, não se sabe ao certo o ano de sua construção, mas estudiosos estimam 1350 – sua torre, aliás, é a parte mais antiga. Durante os séculos, o espaço foi propriedade de nomes importantes da história política italiana, como Camillo Benso, o Conte di Cavour, que foi prefeito em 1892, restaurou a construção e melhorou os cultivos de videira na área. Hoje, o lindo castelo abriga um museu etnológico com móveis originais do século XIX, quartos dedicados à estadia e produz vinhos italianos. O castelo tem também a Cavour Regional Enoteca, criada em 1967 para apresentar os vinhos da famosa região Langhe, do Piemonte – em particular os vinhos Barbaresco e Barolo, bem como o restaurante com uma estrela Michelin, o Marc Lanteri Al Castello.

Via Castello, 5 – 12060 Grinzane Cavour

Foto de longe do castelo e seu belíssimo entorno (Foto: divulgação)

Onde comer:
Donna Selvática, em Neive
O restaurante fica dentro do hotel Borgo Vecchio e merece ir por inúmeros motivos, mas os principais são a vista, que é impressionante, voltada para toda a cidadezinha e seus montes, colinas e montanhas; e pela culinária preparada com ingredientes locais e que dão vida para pastas, saladas e carnes.

Via Rocca, 13

La Ciau del Tornavento, em Treiso
Frutos do mar e massas são os protagonistas da cozinha da casa, que já tem uma estrela Michelin e cultiva uma grande horta nos fundos, de onde, vira e mexe, os cozinheiros vão até lá colher algum tempero ou ingrediente. Tudo fresquinho! Além disso, a vista é deslumbrante e a adega incrível!

Piazza Baracco, 7

Restaurante La Ciau (Foto: divulgação)

Trattoria Della Posta da Camulin
A cantina é super tradicional, simples e charmosa. Tem mesas redondas, uma lareira de pedras ao fundo, janelas grandes e uma pequena adega em um dos cômodos. A comida é inacreditável, super saborosa!

Via Fratelli Negro, 3

Osteria Dell’Arco
É aqui que tem o melhor ovo com trufas da história! Eles cozinham o ovo na hora dentro de uma espécie de “creme”. Demais! Além dele, culinária típica italiana é servida em ambiente acolhedor, típico italiano.

Piazza Savona, 5

Cafeteria Bramardi
A especialidade da casa são os chocolates feitos pelas mãos do dono Giovanni Bramardi. A paixão é tanta que transparece no cuidado. O cacau usado no preparo dos doces vem de várias regiões do mundo, como países da América Central e até da África. O sucesso da doceria está na combinação de aromas e sabores conquistados em processos artesanais. Dica de ouro: não deixe de tomar um café com Nutella chamado “Bramardino”, especialidade da casa, e provar o Cannoli de massa super fininha.

Via Nazionale, 76/E

Posts relacionados