Uma dos centros urbanos históricos mais bem preservados da Itália, Bolonha, capital da Emília-Romana, é também chamada de cidade vermelha pelas suas construções com telhados terracota. Centro gastronômico, é da região que vem o presunto de parma, queijo parmigiano reggiano, entre outras delícias

Enquanto Roma é “A Cidade Eterna”, talvez você nunca ouviu falar, mas Bolonha é conhecida por ser a cidade “La Dotta, La Grassa, La Rossa“. Isso porque tem a mais antiga universidade da Europa de 1088 (la dotta, de aprendizado); é a capital de uma das regiões mais gastronômicas da Itália onde come-se muito bem (la grassa, de gordura) e por sua coloração, com os telhados terracotas (la rossa, a cidade vermelha).

A cidade abriga a mais antiga Universidade de toda a Europa, tem clima descontraído e animado, unindo muita história e cultura. Fundada pelos etruscos em 510 a.C., pertenceu ao Império Bizantino, conquistada por Napoleão Bonaparte e fortemente bombardeada na Segunda Grande Guerra. Bolonha também ficou sob controle papal por duas vezes e as Basílicas, igrejas e construções mostram esta presença marcante.

A cidade tem uma característica única no mundo: são 38 quilômetros de pórticos espalhados, quase onipresente em todas as calçadas. Uns ornamentados, outros com linhas mais retas, outros medievais…andar pelas suas ruas e desvendar estas arquiteturas é um passeio delicioso.

Região do presunto de parma, mortadela, queijo parmigiano reggiano, aceto balsâmico, vinho Lambrusco, entre outras delícia, Bolonha tem uma forte vocação gastronômica. É daqui também a lasanha, o tortellini e, claro, o molho bolonhesa.

Leia mais: Onde comer em Roma, na Itália

  Os passeios imperdíveis da Costa Amalfitana

Porque você vai querer conhecer a Puglia, na Itália

O luxuoso Borgo Egnazia na Puglia, Itália

O que visitar em Bolonha

É muito fácil visitar o centro antigo de Bolonha. A melhor forma é abrir o mapa e traçar uma caminho: conseguirá visitar tudo conforme for caminhando e curtindo os cantinhos da cidade. Comece pela Piazza Maggiore, ponto de encontro da cidade e dos acontecimentos civis, religiosos e lúdicos.

Fontana Netuno na Piazza Maggiori (Foto: Daniela Filomeno)

Ao lado, a imponente Basílica di San Petronio, ali perto tem o Duomo di Bologna que é a Catedral de San Pietro. Em volta da Basilica di San Petronio existem edifícios históricos belíssimos como o Palazzo d’Accursio ou Palazzo Comunale, Palazzo Del Podestà, Palazzo dei Notai e Palazzo dei Banchi. Ainda na praça a Biblioteca Sala Borsa vale a visita (no subsolo tem escavações).

Siga para o Palazzo dell’Archignnasio que abriga a Universidade de Bolonha, a mais antiga de toda Europa (1088). É lá que fica a impressionante Biblioteca Comunale Archiginnasio. É muita história, tanto nos livros ali abrigados, como também em sua arquitetura: um verdadeiro culto ao conhecimento. Tem salas de estudos (reservadas somente aos estudantes), pórticos fartamente trabalhados e o Theatro Anatomical construído pelo Papa em 1637 para reunir filósofos, matemáticos, alunos brilhantes e outros cérebros privilegiados da época. A cada corredor, sala ou entrada uma surpresa, como esta Sala Rusconi, escondida atrás de uma porta de grades.

Os passeios imperdíveis da Costa Amalfitana

Porque você vai querer conhecer a Puglia, na Itália

O luxuoso Borgo Egnazia na Puglia, Itália

Perto está a Santuário Santa Maria della Vita, igreja católica romana em estilo Barroco.

Piazza Cavour: as lojas mais bacanas da cidade se concentram na Via Farini, onde também tem os pórticos mais bem trabalhados. Não perca a Gelateria Cavour, ex Funivia, que tem um dos melhores sorvetes da cidade.

Rume para a imponente Basílica de Santo Petrônio, uma das maiores igrejas do Cristianismo (15ª maior do mundo), que pode abrigar 28 mil pessoas.

Aproveite para uma parada para um café (ou um Spritz) em uma das mais belas praças de Bolonha, a Sette Chiese de Santo Stefano, um grupo de construções religiosas construídas em diferentes períodos. Não são sete igrejas, elas foram sendo construídas uma em cima da outra.

A cidade tem vários Museus, como o Cívico, Medieval, a maioria abrigados dentro de Palácios.

Arredores: Santuário de Madonna di San Luca

Um espetacular caminho de 4 km de pórticos levam à Santuário de Madonna di San Luca, construído  no topo de uma colina para abrigar a padroeira da cidade.

O caminho leva à basílica, sempre oferecendo proteção e abrigo, anualmente a Madonna é carregada em uma procissão. Fora das muralhas da cidade, é um passeio imperdível. Muita gente vai caminhando pelos pórticos, mas também é possível chegar de carro.

A cidade das torres

Também conhecida com a cidade das torres, eram mais de 170, as torres eram símbolo de status de famílias nobres, quanto mais alta, mais poder. Depois tiveram funções militares, como defesa.

Das 20 torres que sobreviveram ao tempo, as Due Torri são marco de Bolonha. Guarde fôlego para subir na Torri degli Asinelli com uma vista da cidade imperdível. Um mar terracota da vista de uma das 20 torres da cidade de Bolonha. São 498 degraus para subir na mais alta torre medieval do mundo: 97,2 metros. A Torri degli Asinelli foi construída em 1109. Ao lado de sua irmã menor, a Torri Garisenda, são reconhecidas como símbolo da cidade e o local onde se pode ver o planejamento urbano de Bolonha: as ruas saem do centro em diagonais que se juntam em um anel externo.

Onde comer em Bolonha

A gastronomia de Bolonha é simples, descomplicada e com muitas casas tradicionais com mais de 40 anos de vida. Os ambientes costumam ser rústicos, com madeira: “Old School” parece palavra de ordem. Entre no clima e saboreie o que tem: bons embutidos, massas feitas nas casas e molhos frescos.

Em uma ruela ao lado da Piazza , o La Baita é uma loja de frios que une o que há de melhor na Itália. Fundada em 1969 por Rino Chiari com a premissa de exaltar o amor da família pelo seu país, tem uma seleção de embutidos e queijos de deixar qualquer amante destas iguarias enlouquecido. As mesinhas na ruela ao lado da Piazza Maggiore e sua decoração de Parmas pendurados e outros embutidos a mostra chamam a atenção. Dividido por regiões, as tábuas de frios podem ser pedidas com o que melhor representa cada área. Daqui da Emília-Romagna, a mortadela da Emília e o Parma e parmigiano da Romagna. Para uma refeição, peça as pastas que são fabricadas à moda antiga, tradição pura!

Paredes decoradas com fotos e objetos antigos, atendimento familiar e poucos lugares dão um ar ainda mais nostálgico à Trattoria Seghei que desde 1967 está entre um dos melhores de Bolonha. Foi o melhor bolonhesa que comemos, assim como o mascarpone com chocolate é delicioso.

Se passasse na rua, provavelmente a Trattoria Tony passaria desapercebida com suas cadeiras de plástico avançando em um parklet. A casa de 1968 tem um time simpático e sua lasanha que ficou famosa. Ela (como me indicaram) tem sabor de infância, daquelas que nossa avó fazia. Simples e gostosa!

Uma vez em Bolonha… tagliatelle alla bolognese para mergulhar (€13) do Ristorante Cesarina. Ele fica debruçado na mais charmosa praça da cidade: Sette Chiese de Santo Stefano. Quem se importa se o lugar é turístico, quando oferece deliciosas mesinhas na rua e ainda boa comida? Eu aproveito a boa localização e me jogo e vocês?

Sempre pesquiso sobre os restaurantes da cidade e nunca consigo ir em todos, alguns da minha lista para uma próxima vez:

  • Café Gamberini, para um café ou um doce;
  • Colazione da Bianca, para um café da manhã;
  • Pasticeria San Stefano;
  • Eataly;
  • Salumeria Simoni, para embutidos e queijos.

Posts relacionados