Manuela Horn (@ela.manu.ela) é brasileira, maquiadora e reside na cidade luz há quase 8 anos. Sua relação com a gastronomia começou desde criança, quando o ato da refeição era levado como um importante momento de interação familiar. Descendente de família italiana, levou a sério o assunto…Quando não está com os pincéis nas mãos, Manuela maneja os talheres buscando novas experiências gastronômicas por Paris. Desde uma clássica brasserie aos bistrôs mais descolados, ela dá as dicas dos seus restaurantes favoritos por lá. Confira aqui!

Caillebotte

É um daqueles novos restaurantes parisienses que os locais adoram: intimista, aconchegante, comida excelente, preço “correto”- como os frenchies gostam de dizer – e uma décor trendy. Diferente dos tradicionais restaurantes franceses, o Caillebotte faz parte dessa nouvelle vague de bistrot-resto-gastronomique que está tomando conta de Paris. O ambiente é simples e tem um toque do estilo escandinavo. Outro ponto alto é o serviço. Para os padrões de Paris, é impecável.

O chef Franck Baranger prepara pratos criativos sem modismos. O ovo meureutte revisitado, o pato com crosta de azeitona e feno braisé ganharam destaque em nossa visita. Para finalizar, o abacaxi ao forno com ganache de abacate também surpreendeu. A casa abre somente nos dia de semana e com reserva.

8, Rue Hippolyte Lebas, Paris

Eels

É no 10ème arrondissement, como chamamos os bairros em Paris, que florescem deliciosos restaurantes a toda hora. Paris nos reserva muitas surpresas nos seus bairros menos turistícos. Como é o caso do Eels, localizado na rue d’hauteville.

O menu vai muito além das enguias – como o nome do empreendimento sugere. Adrien Ferrand traz também diversos pratos com misturas que despertam todos os sentidos, com associações de ingredientes doces e salgados; frutas com legumes e temperos asiáticos.

Grande parte dos pratos podem ser degustadas em menus fechados. Ótima alternativa para descobrir a cozinha do Eels. Para não ter surpresas desagradáveis é recomendável fazer reserva.

27 Rue d’Hauteville, Paris

Confira também onde comer em Paris por Daniela Filomeno, nossa editora-chefe 

Itacoa

A rua St. Denis, entre a rua Étienne Marcel e a rua Réaumur, está em constante transformação. São vários comércios surgindo pela região: floriculturas, bares, padarias e restaurantes…E entre as boas surpresas está o Itacoa. Pode-se descrever o lugar como uma brisa brasileira em pleno coração de Paris. Itacoa não é necessariamente um restaurante brasileiro, mas a malemolência do chef Rafael Gomes se reflete em suas criações. Os pratos são leves, frescos, com associações deliciosas de produtos locais. Vegetais, cereais, peixes…A filosofia do lugar é consumir tudo que nos alimenta e, ao mesmo tempo, nos faz bem.

O ambiente descontraído tem um quê do espírito brasileiro. No terraço, funciona – quando o tempo em Paris permite – um bar com um menu especial. E aos domingos é servido um brunch. Não é incomum encontrar deliciosos pães de queijo fresquinhos, para os brasileiros saudosos. Definitivamente, ganhou meu coração… e meu estômago. Para aqueles que não conhecem essa parte do coração de Paris, vale se perder pelas ruazinhas do bairro antes ou depois de uma pausa no restaurante. Desça na estação Sentier.

185 Rue Saint-Denis, Paris

Les Arlots

Uma agradável surpresa em pleno 10ème arrondissement. Quem passa distraído corre o risco de não notar o lugar pela fachada simples. No salão, uma dezena de mesas estilo bistrot, piso coberto por um mosaico de azulejos e um antigo balcão de madeira dão a personalidade da casa. As criações do chef Thomas Brechet ficam expostas em uma lousa. Na ocasião, provamos o St. Jacques com butternut e castanhas. Delicioso! E finalizamos com uma seleção de queijos franceses.

O menu atende os mais variados paladares: ostras, tartare, endívias ao presunto (um clássico francês!), pato confit e a famosa saucisse des arlots, que vem acompanhada de uma mousseline de batatas charlote. A receita ganhou o prêmio de melhor duo “salsicha-pure”, segundo o guia Fooding, em 2017. A carta de vinhos contém mais 150 rótulos para harmonização. Ideal para ir com um pequeno grupo de amigos, um date ou, até mesmo, sozinho para um drinque no bar. Vale a visita!

136, Rue du Faubourg Poissonnière, Paris

Miznon

Miznon é um daqueles restaurantes concorridos e animados. A equipe está sempre fazendo bagunça e a música (boa) no volume máximo. Está localizado a alguns metros dos tradicionais e turísticos falafeis da Rue des Rosiers, no bairro do Marais. O chef israelense Eyal Shani propõe uma cozinha generosa e informal, daquelas que a gente encerra lambendo os dedos ou “limpando” o prato com pãozinho pita.
Legumes no forno, kebab de cordeiro, sanduíche de pita « steak and egg «, ratatouille de legumes e muitas outras opções frescas e preparadas ali na hora – na sua frente. Frutas e legumes fazem a decoração desse fast food chique, que mais parece a cozinha de uma casa de campo na costa do mediterrâneo. O lugar perfeito para curar a ressaca de domingo ou para matar a fome entre (poucos) amigos. Não muitos, pois a casa não tem muito espaço. Vá para comer e se divertir!

22, Rue des Ecouffes, Paris

Vava

O restaurante Vava fica do lado de uma das ruas mais famosas do bairro, que liga Pigalle a Montmartre, a rue Lépic. Vale programar um passeio pelo bairro e encerrar o dia com este jantar especial. Aliás, o nome da casa é a abreviação de “Venez Avec Votre Amour”, que significa “venha com o seu amor”. As mesas altas e os bancos dão ao restaurante um ar de barzinho. A casa, já muito disputada, dispõe de um miniterraço, ideal para tomar um drinque enquanto se espera a mesa. Aliás, a cerveja com notas de manjericão da casa vale a pedida.


No menu, transitam pratos de influências mediterrâneas e tradicionais pensadas pelo chef Benjamin Mathieu. Para começar, há opções desde sanduíches, como o de pastrami, até frutos do mar e outros clássicos franceses revisitados, caso do boudin noir (morcilha) com batata doce.
De prato principal, optamos por um côte de boeuf com aipo e azeitonas taggiasche. Excelente! As porções são pequenas, então dá pra pedir vários pratos e dividir entre todos da mesa. Vá! (com seu amor)

42, Rue Véron, Paris

Fotos: Manuela Horn e divulgação 

Quer saber mais hotspots em Paris? Acesse a matéria abaixo:

Paris: hotspots para comer bem e não gastar muito

Posts relacionados