Se existe alguém que conhece bem a capital paraense é Mariana Belém. A cantora é íntima dos restaurantes mais badalados da cidade, desses que fogem do circuito turístico e prima pela maestria gastronômica local. A artista indica também seu hotel favorito na terra do pato no tucupi. Pensa em partir rumo ao Pará? Anote essas dicas!

Um dos pratos servidos no Remanso do Bosque (Foto: Divulgação)

ONDE COMER:

Remanso do Bosque
É a quatro mãos que os chefs Thiago e Felipe Castanho comandam a cozinha do Remanso do Bosque. De lá, prepara-se pratos elaborados com ingredientes da Amazônia em fogão à lenha e apuro técnico. Há duas maneiras de saborear os pratos da casa: uma delas é através do menu degustação, que apresenta, entre outras opções, o mapará assado na folha de bananeira e levado à mesa com tucupi e farinha-d’água. A outra é pôr à la carte. No cardápio, entre outros preparos, você encontra o filhote assado na brasa acompanhado de salada de feijão caupi, macaxeira na manteiga e farofa e tambaqui assado na brasa com purê de abóbora assada e tropeiro de feijão caupi.

Av. Rômulo Maiorana, 2350, Marco /Tel: (91) 3347-2829

Bar e Restaurante Rubão
O espaço tem mesas ao ar livre e serve petiscos de ingredientes locais e pratos típicos, como o caranguejo, mexilhão, charque, carnes e aves. Peça cerveja de garrafa para acompanhar.

Espaço das Docas (Foto: Divulgação)

Travessa Gurupá, 312, Cidade Velha / Tel: (91) 99122-4232

Capone Ristorante
Que tal unir um tradicional prato italiano com um toque paraense? É assim o risoto de maniçoba, criação do chef João Carlos, para os amantes da alta gastronomia e da culinária regional. Essa e outras receitas recheiam o cardápio.

Av. Castilhos França, Galpão 2, s/n – Estação das Docas / Tel: (91) 3212-5566

Veja também: 5 lugares imperdíveis em Belém do Pará 

Sorveteria Cairu
Os 50 anos de história coloca a sorveteria na rota turística não só do Pará, mas do Norte do país. 50 também é o número de sabores feitos artesanalmente com as frutas da região, leite e sem gordura hidrogenada. O sucesso é tanto que a sorveteria foi eleita pelo New York Times como “um dos achados de Belém” e, em 2015, inaugurou uma filial no Rio de Janeiro. 

Av. Governador José Malcher, 1895, Nazaré / Tel: (91) 3246-9129 / Travessa Dom Romualdo de Seixas, 1139 – Umarizal / Tel: (91) 3223-2955 / Travessa 14 de Março, 1570 – Telégrafo Sem Fio / Tel: (91) 3242-2749

Sorveteria Cairu (Foto: Divulgação)

Manjar das Garças
Instalado desde 2005 no Parque Ecológico Mangal das Garças, centro histórico da capital, o Manjar está em um espaço que harmoniza o charme da arquitetura regional com ambiente aconchegante e sofisticado. No prato espere por peixes e frutos do mar, como camarões grelhados com cuscuz de jambu ao molho de tucupi, além de saladas, carnes e aves.

R. Dr. Assis s/nº – Parque Ambiental Mangal das Garças, Cidade Velha / Tel: (91) 3242-1056

Onde os chefs comem? Com Thiago Castanho, em Belém do Pará

ONDE FICAR:

Atrium Quinta das Pedras 
No séculos 18, esse casarão era um orfanato. Hoje, restaurado, abriga o hotel, localizado a 3 minutos a pé do parque ecológico Mangal das Garças, junto ao Rio Guamá. As suítes convidam ao descanso e à tranquilidade e algumas oferecem vista para a piscina.

R. Dr. Assis, 834, Cidade Velha / Tel: (91) 3199-1603

Quando ir:
Em Belém faz calor o ano inteiro. As chuvas vão de dezembro a abril e o melhor período para os passeios é entre junho e novembro. No mês de outubro, por exemplo, é quando acontece o Círio de Nazaré, maior evento da capital. 

Fenômeno da fé: como é vivenciar o Círio de Nazaré em Belém (PA)

Como chegar:
De avião: há vôos diários partindo das principais capitais do país. De carro: vindo do Sul e do Centro-Oeste, vá pela BR-153 (Belém-Brasília) até Santa Maria do Pará, depois BR-316 e PA-391. Se vier do Norte, acesso pela BR-316 e PA-391.

Posts relacionados