Por Glauber Britto

A famosa Bruxelas e seu “cheiro” de chocolate e “sabor de cerveja”, é a capital da Bélgica. Pelo fato de sediar diversos órgãos internacionais, como a OTAN, a Comissão Européia, o Conselho e o Parlamento Europeu. Mas, nem só de política Bruxelas é famosa, já que é também a terra dos Smurfs e do menino espião mais famoso do mundo, o Tim Tim

Bruxelas, a capital da Bélgica (Foto: Yeo Khee/Unsplash)

Bruxelas é uma cidade linda e charmosa, pitoresca e cosmopolita e, de quebra, está muito conectada com as principais capitais europeias. É um cidade pequena e com poucas atrações, porém as que se tem para visitar são espetaculares. Fiquei apenas quatro dias na capital belga e pude perceber que é muito tempo para um lugar que não muitos programas. Portanto, recomendo apenas dois dias em Bruxelas, mas que sejam dinâmicos, com duas ou três atrações e assim, você consegue apreciar com calma e vivenciar a energia dos belgas como se fosse um local. Confira abaixo o que não pode faltar em seu roteiro:

Grand Place

O lugar mais tradicional da cidade é o Grand Palace, formidável e situado bem no coração da capital belga. É aqui que está a Casa do Rei e a Praça Alberga, com edifícios góticos, barrocos e neogóticos, com cerca de 96 metros de altura.

Grand Palace (Foto: Glauber Britto)
Menneken Pis (Foto: Glauber Britto)

Menneken Pis

É uma estátua pitoresca e que atrai inúmeros turistas. Na verdade, é uma fonte em que um garotinho está fazendo xixi e tem apenas 61cm de altura e a sua fama ainda é desconhecida. No Museu de la Ville, é possível observar mais de 800 roupas para esta estátua, que são usadas apenas em datas comemorativas. A atual estátua não é a original, pois, desde a sua primeira exposição original, no final do século XVIII, a obra foi roubada inúmeras vezes. Portanto, é só mais uma réplica.

Waffles

Não deixe de comer os tradicionais waffles – já que em Bruxelas eles são únicos. Há por todos os lados e, normalmente, são cobertos com chocolates e frutas, mas existem diversos recheios e todos valem a pena serem provados de tanto que são gostosos.

Museu do Chocolate

O Museu do Chocolate fica na região central da cidade. Ali dentro, você demora 2h para poder percorrer todo o território devido a toda história que ali é contada. Tem homenagem ao Brasil, com uma representação no plantio de cacau e na produção de chocolate. No final da visita tem uma aula prática para você aprender diferentes preparos com chocolate e você pode até opinar na produção de um bolo junto ao chef patisserie.

Atomium

Um grandioso monumento que foi construído para a Expo 58 – também conhecida por Feira Mundial de Bruxelas ou Exposition Univeselle et Internationale de Bruxelles – que foi a primeira grande exposição mundial depois da Segunda Guerra Mundial. O prédio, apesar de se chamar Antomium (átomo) é, na verdade, feito no formato de um cristal de ferro e, digamos que seja um conjunto de átomo de ferro. Cada esfera é uma sala com exposições diferentes e as ligações são feitas por escadas rolantes.

Atomium (Fotos: Glauber Britto)

Les Galeries Royales Saint-Hubert

É uma galeria com lojas e muitas delas servem aos reis da Bélgica. Este espaço foi aberto ao público em 1847 e ainda hoje continua a ser um dos lugares mais exclusivos para fazer compras em Bruxelas. Vale também a visita ao espaço, pelo seu belo edifício, adornado por um colossal teto de vidro. Das sete galerias originais, hoje em dia existem apenas três: a Galeria do Rei, a da Rainha e a dos Príncipes.

Palácio Real

Até 1813 era a residência oficial da família real da Bélgica. Hoje em dia, o Palácio de Laeken assume essas funções, então, o Palácio real atualmente é usado apenas para atos simbólicos e de Estado. Não se esqueça que a Bélgica é uma monarquia e desde 2013, Filipe da Bélgica é o rei do país.

Palácio Real (Foto: Glauber Britto)

Pierre Marcollini

Conheça e desfrute da loja do renomado chef patisserie, Pierre Marcollini. A vitrine é composta de diversos bombons feitos por ele, além de outros doces feitos à base de chocolate. Pierre é um chef totalmente premiado, tem programa de TV e seus bombons são incríveis e muito requintados.

Catedral de São Miguel e Santa Gudula

Edifício que foi renovado em estilo gótico, a aparência ainda se mantém. Hoje em dia, a catedral é um símbolo da resistência de Bruxelas e São Miguel de Arcanjo e a mártir Santa Gudula são os padroeiros da capital da Bélgica. Vale muito a pena ficar uma hora admirando toda a arquitetura que faz você ficar fascinado de tão detalhista que é cada centímetro.

Catedral de Bruxelas (Fotos: Glauber Britto)
Jardim das Artes em Bruxelas (Foto: Glauber Britto)

Jardim du Mont des Arts

É a porta de entrada no centro antigo de Bruxelas. A Mont des Arts é possivelmente um dos melhores lugares para contemplar uma vista panorâmica da cidade. Não é um local que se visite por si mesmo, mas a vale a pena parar um pouco e caminhar pelo seu jardim totalmente bem cuidado.

Ixelles: dica gastronômica

Indicado pelo guia Michelin como restaurante Bib Gourmand, ou seja, é garantia de qualidade no serviço e boa comida. Como sugestão de entrada, vale a pena provar o arancini simples servido com o maravilhoso molho de tomate, feito com tomates confitados, uma verdadeira delícia. Como dica do chef, aproveite o tagliatelle de trufas negras na manteiga de sálvia, como prato principal. Dá vontade de pedir bis, de tão divino. Para encerrar, não deixe de provar o cannoli, tradicional da Itália, servido no Ixelles bem recheado e bem crocante.

Dicas

– Visitei Bruxelas no início do outono e tem muitos dias de chuva, portanto, prepare um bom guarda-chuva para te acompanhar e, ainda assim, o clima pode mudar de repente e o sol pode aparecer. Os dias também podem ser nublados, sem chuva, mas com bastante frio. Nesta época, o dia gira em torno de 10 a 15 graus, então é recomendável levar casaco;

– O transporte público é muito fácil de usar, então, evite a utilização de carros. A cidade é muito pequena e dá para fazer muita coisa andando ou de monorail;

– Caso você se incomode com cidade muito cheia, evite Bruxelas nos finais de semana, pois muitos europeus vão passar estes dois dias para aproveitar o clima bucólico e suas as deliciosas cervejas. Portanto, a cidade fica muito lotada e é recomendável fazer a programação durante a semana;

– A cidade é pequena, porém o custo de vida é alto. Não é tão barato comer em Bruxelas e não é uma cidade para fazer compras, mas, como em qualquer lugar, há alternativas que cabem em todos os bolsos.


Nascido em Vitória da Conquista, na Bahia, o arquiteto Glauber de Lopes Britto atua no mercado de Visual Merchandising desde 2007 com sua empresa de cenografia, vitrine e store desing, a Ideia3 e atende, principalmente, os mercados de São Paulo e Rio de Janeiro. Em seu currículo consta também passagens por empresas como Track & Field e Levi’s Brasil. Há quatro anos foi morar em Sydney, na Austrália, depois de se casar com o Cônsul Brasileiro Ricardo Bartolomeu. Hoje moram em Luanda, na Angola, devido à transferência de posto consular de Ricardo. Juntos, já visitaram mais de 30 países e transformaram as viagens em um verdadeiro diário de bordo com impressões pessoais e imagens de todos os cantos. Os relatos e registros fizeram sucesso entre os amigos que, hoje em dia, Glauber começou a dar dicar de como programar viagens, calcular os melhores passeios e também sugerir algumas experiências gastronômica e roteiro de compras.

Booking.com

Posts relacionados