Elegância e turismo são duas características muito presentes na vida de Sonia Sahão, consultora de turismo de luxo no Brasil. Habituée de Paris, Sonia compartilha dicas preciosas para quem deseja fugir dos clássicos parisienses

Galerie Vivienne (Foto: Wikimedia)

Por Sonia Sahão

Desta vez, vamos sair do circuito do Triangle d’Or, que une as avenidas Montaigne, Champs-Elysees e George V, e vamos caminhar para a 2nd Arrondissement, onde se encontram a Galerie Vivienne e a Galerie Colbert.

Galerie Vivienne

A Galerie Vivienne foi construída em 1823 e traz uma das mais belas passagens de Paris. Suas entradas estão localizadas na Rue de La Banque, Rue Vivienne e Rue des Petits Champs e é um prédio típico da metade do século XIX. O passeio pode começar na Legrande Filles et Fils, uma das mais antigas lojas de vinho de Paris (com data de 1809), e um ótimo lugar para comer e tomar uma taça de vinho. Ainda na Galerie Vivienne, se o seu intuito for compras, aproveite as grandes lojas presentes e encha as sacolas. Para finalizar ou apenas espairecer durante o dia, o À Priori Thé oferece bons chás e pratos.

Galerie Colbert

A Galerie Colbert, assim como a Vivienne, oferece uma das mais belas passagens cobertas de Paris. Antigamente, essas galerias eram passagens cobertas que protegiam os pedestres da chuva e eram típicas do século XIX. Atualmente, a Colbert abriga centros de pesquisas – o que reúne inúmeros locais – e, até por isso, é uma ótima sugestão de passeio, já que é uma das galerias mais bonitas da cidade, pertencente ao complexo cultural da antiga Biblioteca Nacional. A decisão de construir a Galerie Colbert veio de uma empresa de especulação imobiliária, a Adam et Cie, que acompanhou o sucesso da Galerie Vivienne, bem próxima, e também decidiu investir neste mesmo ramo para construir uma galeria concorrente à vizinha. Aproveite e almoce no Le Grand Colbert, um famoso restaurante dentro da galeria, que tem ambiente típico de bistrô parisiense. É possível aproveitar um cardápio com bouef bourguignon ou até mesmo um peixe fresco com alcaparras. Finalize a visita na galeria ao visitar o Museu des Arts du Spetacle, que reúne peças incríveis do mundo do teatro, como costumes, fotos, cenários e cartazes antigos.

Le Grand Colbert (Foto: reprodução site)

Veja também: o que fazer em Paris com crianças, por Samara Checon

Atravessando a cidade…

Após visitar as duas galerias, caminhe até o Jardim do Palais Royal e aproveite o dia como os parisienses. Depois vá para o outro lado da cidade, no outro extremo, para o 16 arrondissement e caminhe pela Rue de Passy, que abriga diversas lojas. Emende para Avenue Bugeaud 16, onde tem o restaurante Nomicos, comandado pelo chef Jean-Louis Nomicos. Por lá, o chef comanda uma cozinha criativa que convida seus comensais a viajarem pelo mundo da gastronomia francesa. Alguns ingredientes são sazonais, mas outros sempre estão no menu, como o macarrão com trufas negras e o foie gras. O 16 Arrondissement é uma das áreas mais exclusivas para viver em Paris, onde vivem as famílias abastadas, fora do circuito dos turistas.

Jardim do Palais Royal (Foto: Wikimedia)

As cinco melhores suítes com vista panorâmica em Paris

Posts relacionados