Por André Prado 

Produzido na região do Douro, em Portugal, o vinho do Porto foi até os idos de 1940 conhecido como um potente fármaco, usado diariamente por crianças, jovens e idosos como “preventivo para todos os males”

Porto, Portugal (Foto by Nick Karvounis on Unsplash)

Hoje, já não tem mais essa “função” milagrosa, mas continua sendo amado por todos. O vinho do Porto só pode ser produzido com uvas da região do Vale do Rio Douro, nordeste de Portugal e onde está a cidade do Porto, que empresta seu nome a este ícone de Portugal. Famoso como vinho de sobremesa por ser mais adocicado, o que poucos sabem é que o que faz com que seu teor de açúcar e de álcool fique elevado é a adição de aguardente vínica em sua produção.

Rico em cor, aroma e sabor, os dois principais tipos são: os Ruby, que passa pouco tempo na barrica e envelhece na garrafa, e os Tawny, que passa bastante tempo em grandes barricas. Entre os Tawny existem várias categorias:  Tawny, Tawny Reserva, Tawny com indicação de idade (10 anos, 20 anos, 30 anos e 40 anos) e Colheita (de uma única safra). 

Nos Ruby as categorias são: RubyReservaLate Bottled Vintage (LBV) e Vintage.

Foto: divulgação

Os Vintage são o topo da gama dos vinhos do Porto, o mais desejado de todos, porém só são produzidos em anos especiais. Vinho múltiplo pode ser consumido jovem ou pode-se deixar envelhecer na garrafa por muito e muitos anos (mais de 50 anos com facilidade) que suas qualidades serão mantidas – e talvez até “melhoradas”.

Participei de uma degustação de vinhos do Porto vintage 2017 conduzida pelo Fernando Seixas do Grupo Fladgate que controla as marcas Taylor’s, Fonseca, Krohn e Croft.

Degustamos os seis vintage do grupo e posso garantir que estavam excepcionais, ótimos para se tomar já, mas que vão evoluir por muitos anos.

Os vinhos dos Porto são ótimo acompanhamento para chocolate, sobremesas portuguesas e queijos fortes, principalmente os ainda jovens como estes degustados.

Toda crítica especializada tem falado muito bem dos vintage 2017 e comparando com a histórica safra de 1945, mas isso só o tempo poderá dizer.


Andre de Almeida Prado: engenheiro civil por formação, gourmet e entendedor de boa comida e bebidas por paixão. Curioso e descontraído, adora estudar vinhos e harmonizações e conhecer novos lugares. Criou o Instagram @vidagourmet no final de 2014 para compartilhar suas experiências enogastronômicas. Já colaborou com a Revista Gosto e o App Share Eat. 

Posts relacionados