Ensenada é conhecida por ser um dos lugares que melhor se come em todo o México. Sua produção de mariscos e pescados de água fria são bastante conhecidas. Comer pelas ruas nada mais é do que um mergulho na comida local, cheia de referências do que é tradicional mexicano. Mas, também, com ares de frescor e a rapidez de fast-food que pedem as cidades. Abaixo, um roteiro do que tem de mais interessante na cidade, segundo o Club Tengo Hambre, um coletivo que faz curadoria de tudo de bom por aquela região.

Ensenada, Baja California, México – Em uma esquina próxima do movimentado malecón de Ensenada, funciona uma das unidades de Tortilhas La Guerrerense. Eles não têm um restaurante propriamente dito, são barraquinhas espalhadas. Dona Sabina Bandeira e sua família são do estado mexicano de Guerrero, daí o nome das tortillas. Eles são tradicionais na cidade: estão lá desde a década de 60, preparando essas tortilhas com recheios bem interessantes, como vieiras, polvo e montagens à sua preferência. O lugar é tido como um dos mais gostosos para se comer ao ar livre e vende tudo fresquinho. Os ceviches são deliciosos: mexilhões, polvo, filés de pescado, camarão, entre outros. Um dos campeões é uma receita familiar da chamada “erizo con almeja pismo” (uma espécie de molusco que só se dá em altas atitudes, cuja concha pode ser tão grande como um prato).

Tortilha Erizo con almeja pismo (espécie de molusco). Picante! (Fotos: Acervo Pessoal)

Tacos de peixe, do El Nuevo Jalisciense
Memória afetiva é quando você olha a foto de alguma coisa ou lembra de algo e começa a salivar. Pois bem… Esses tacos vão te fazer querer mais e mais. Apesar de o lugar não ser dos mais apresentáveis (é uma barraquinha de beira de estrada), há uma pequena mesa compartilhada. Mas, quando os tacos saem do balcão, não tem como dizer não. Temos de convir que eles não são bonitos, até porque não há uma bela apresentação. Mas são deliciosos: tem de peixe, camarão… O recheio é uma espécie de tempurá. Eles vêm envoltos em uma tortilha de milho e servidos com uma salada de repolho. Dá para acrescentar vinagrete e jalapeño. Pronto! A saber: em sua passagem pelo México, o chef brasileiro Alex Atala experimentou os fish tacos. Será que ele também aprovou?

Taco de peixe, servido na tortilha de milho, salada de repolho com pico de gallo (o vinagrete deles) e jalapeño (opcional)

A lendária torta de Tijuana
Apesar do nome, as Tortas Wash Mobile são, na verdade, sanduíches. O emblemático lugar funciona desde 1964 e é especializado em preparar carne assada com um sabor bem urbano. É como se fosse um burrito, mas no lugar da tortilha vai o pão ciabatta. O nome vem da antiga localização: ali funcionava um antigo lava-carros, que hoje não existe mais. Mas a paixão dos locais é igual desde então. O mestre de churrasco da segunda geração, Juan Manuel (ele é filho do primeiro dono), faz brisket adocicado em uma churrasqueira de tiras de peito, marinado durante 12h, sobre uma mistura de batatas e carvão. O sabor é defumado e, ao mesmo tempo, levemente picante. Os acompanhamentos são guacamole, tomates, cebolas roxas em conserva e molho. Custam, em média, 35 pesos mexicanos. Algo próximo a R$ 10. Tem gente que cruza a fronteira de San Diego só para ir comer essa delícia!

Brisket de peito com guacamole, cebola adocicada e tomate no pão ciabatta

Mercado Miguel Hidalgo
Shopping de rua mais antigo de Tijuana, o Mercado Miguel Hidalgo tem a essência da cultura local, ressalta a essência da região e é ótimo para descobrir culturas ancestrais e receitas antigas. No primeiro pit-stop, você vai se encantar pelas diferentes formas de piñatas (brincadeira tipicamente mexicana, que consiste em derrubar a figura coberta de papel crepom a fim de liberar os doces; no Brasil isso é feito com bexigas gigantes). Há desde unicórnios e carros a personagens populares, como Chaves e Lego. Além de doces, você encontra itens de artesanato e frutas exóticas, algumas desidratadas, e queijos, muitos queijos. Talvez a coisa mais diferente que você vá encontrar são iguarias do sul mexicano, chamadas chapulinas (grilos secos e temperados). Não tivemos coragem de experimentar!

Piñata de tudo quanto é tipo, forma e tamanho… Dá vontade de levar pra casa!

Tacos el Franc
Tacos são uma coisa séria em Tijuana. Há diversos lugares que vendem a delícia, faz parte da tradição, mas este lugar, em especial, é frequentado por locais. Nada turístico! O diferencial? O sabor de tudo o que servem. O lugar tem diferentes recheios combinados com cebola, salsinha, molho e guacamole. E pimenta, claro! A carne assada vem de uma churrasqueira vertical (como as de churrasco grego), e aí são combinados os toppings. O legal é ver a feitura de cada prato. Parece uma linha de produção e tudo é preparado lá mesmo. Não importa o horário que for, estará cheio. Mas sempre cabe mais um… Como funciona das 15h às 3h, é sempre pit-stop da galera mais jovem no pós-balada. Além de carne tradicional e vegano, destaca pelo paladar o taco de língua bovino. Delicioso!

Tacos com carne bovina, servido na totilha de milho, com cebola, salsinha, molho e guacamole

O repórter viajou para a região de Baja California a convite do Visit Mexico (bureau de turismo daquele país), em press trip organizada pela MSL Group. As atividades tiveram curadoria do Club Tengo Hambre, coletivo de hosts que trabalha como espécie de concierge, ciceroneando grupos que querem experiências como um autêntico local.


Leia também nossa matéria sobre as vinícolas. Você encontra todas as matérias da região neste link!

Baja California se firma como destino enológico; veja quais vinícolas visitar no México

Booking.com

Posts relacionados