*atualizada em 17/3, 10:50

É fato: infelizmente estamos atravessando um triste período de crise mundial com 0 Coronavírus, o COVID-19, e isso atinge diretamente o setor do turismo. Estava com uma viagem marcada e não sabe o que fazer? Vale a pena já programar as férias de julho? Tire suas dúvidas abaixo.

Desde dezembro de 2019 estamos ouvindo um nome, até então desconhecido, estampado nas principais manchetes do mundo. O novo Coronavírus, nomeado de COVID-19, chegou à China e se alastrou pelo mundo, tomando conta de outros continentes, além do asiático. Na última quarta-feira, 11 de março, a doença – que tem sintomas semelhantes ao de uma gripe – foi considerada uma Pandemia pela Organização Mundial da Saúde e isso significa que o mundo inteiro deve estar atento aos desdobramentos desta nova mutação. Depois do surto na Ásia, a Europa tornou-se o principal epicentro do COVID-19, atingindo, principalmente, países como a Itália e Espanha.

Setor do  turismo é um dos que mais sofre com a crise do Coronavírus (Foto: Erik Odiin on Unsplash)
Setor do turismo é um dos que mais sofre com a crise do Coronavírus (Foto: Erik Odiin on Unsplash)

Praticamente o mundo todo está em alerta, grande parte em quarentena. A Comissão Europeia anunciou que estrangeiros não poderão entrar em 31 países do continente, por ao menos um mês; na América do Sul a Argentina foi a primeira a anunciar o fechamento de suas fronteiras, seguido da Colômbia que restringiu a entrada apenas a colombianos e residentes; e do Chile, Paraguai, Uruguai, Peru e Venezuela, que decretou quarentena nacional.

A Disney não abrirá as portas dos seus parques até o final de março e, também nos Estados Unidos, todos os shows da Broadway estão suspensos até segunda ordem. No Brasil, segue o mesmo. MAM, Pinacoteca, Museu da Casa Brasileira e exposições todos fechados. Os grandes restaurantes em todo o mundo, assim como muitos locais, temporariamente sem atividades. Com este novo cenário, quem estava com viagem marcada ou planejando embarcar nos próximos meses precisa repensar e tomar algumas atitudes. 

Comprei uma viagem e o destino está com muitos casos do Coronavírus ou fechou as fronteiras, o que devo fazer? 

No atual epicentro da pandemia, a Europa, praticamente todos os  seus países estão proibindo a livre circulação. Imagina ir até lá, não faz o menor sentido. Já nos destinos que tiveram suas fronteiras fechadas, como Nova Zelândia e Chile, a maioria das companhias aéreas, hotéis e outros serviços permitem remarcar para uma nova data sem custos adicionais. Entre em contato com as empresas na qual comprou os serviços – não cancele –  reagende para o segundo semestre ou quando a situação normalizar. 

Tenho uma viagem marcada para os próximos dias, posso ir?

No cenário atual: não! A recomendação da Organização Mundial da Saúde é ficar em casa  Não viaje, não frequente lugares com muitas pessoas, respeite a quarentena. Mesmo se for algo urgente, consulte, pois poderá não conseguir voltar.

O que fazer se estou em um país que determinou lockdown? 

A recomendação é voar para casa o mais rápido possível. Todos os turistas têm direito de voltar ao seu destino de origem e, até o momento, nenhum país lockdown proibi a saída dos turistas, apenas a entrada. O grande problema é que os voos são cancelados. Ou seja, procure a agência de turismo ou companhia aérea onde comprou seu bilhete e reagende sua volta urgentemente. Nesses casos, a maioria das companhias aéreas não estão cobrando taxa de alteração. 

Importante: caso o turista esteja em um país que decretou quarentena e descumpra a ordem, o viajante poderá ser deportado. 

Eu tenho direito a reembolso integral caso queira cancelar minha viagem?

Segundo Gabriela Bini, da agência Due Turismo, em São Paulo, cada caso é estudado individualmente e depende muito do período da viagem contratada. Destinos que estão fechados, as companhias aéreas e os hotéis permitem o reembolso e as agências, neste momento, estão devolvendo suas comissões integralmente. Se possível, reagende a sua viagem e não cancele. Fazendo isso o viajante colabora para que a economia e o setor do turismo volte a se estabilizar. 

Em até quanto tempo devo fazer o reagendamento da minha passagem?

Cada companhia aérea tem uma política diferente (leia abaixo). A via de regra é que quanto antes, mais chances de conseguir negociar uma alteração sem multas. Consulte seu agente de viagens que poderá informá-lo e orientá-lo com a melhor opção possível. 

Devo aproveitar as promoções de passagens e comprar agora minhas férias para o mês de julho?

Segundo as autoridades de saúde, o grande pico do surto de Coronavírus deve terminar apenas no final de maio ou início de junho. Hoje, um anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que pode se estender a julho e agosto. No caso de compras ainda não efetuadas, a agente Gabriela indica esperar pelo menos até o meio de abril para fechar e pagar novas viagens. Até lá já devemos ter um novo panorama da doença, podendo tomar decisões mais assertivas sobre o próximo destino de férias. 

Além disso, outra dica é sobre essas grandes promoções de passagens e suas políticas de cancelamento. Após o pico do surto passar, muitas companhias não deixarão remarcar essas passagens promocionais; fique atento à todas as políticas de cancelamento e reagendamento antes de passar o cartão de crédito. 

Vale lembrar que o posicionamento oficial do Procon e o Ministério Público Federal dizem que os passageiros têm direito de alterar a passagem sem custo. Já a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) afirma que o passageiro precisa seguir as regras tarifárias do momento da compra e negociar com as companhias.

Abaixo, o posicionamento de quatro das principais companhias aéreas atuantes no Brasil. Vale entrar no site de cada companhia para verificar diariamente possíveis mudanças nas políticas de reagendamento/ cancelamento. 

American Airlines – todos os voos cancelados para o Brasil

A companhia aérea American Airlines anunciou que todos os voos para America do Sul, Ásia, Austrália, Nova Zelândia e Europa foram cancelados a partir de hoje, 16 de março. A medida está prevista até 6 de maio. Entre as rotas atingidas estão as ligações realizadas de Miami e Nova York para o Rio de Janeiro e São Paulo; entre Dallas e a capital paulista; os voos entre Miami e Manaus e entre Miami e Brasília. Os clientes atingidos, de acordo com a American Airlines, serão contactados e terão flexibilidade para remarcação de voos sem qualquer taxa. Eles também terão a opção de reembolso do bilhete comprado.

Azul – operações suspensas até 30 de junho

A Azul anunciou, na tarde de hoje, que suspenderá operações em algumas de suas bases após a empresa observar queda na demanda em função do avanço do coronavírus. A companhia diz já estar em contato com clientes impactados pelas mudanças e afirmou que todos serão reacomodados em outros voos. A suspensão passa a valer a partir de sábado para Bariloche, na Argentina, e de segunda-feira para municípios brasileiros. Todos os voos internacionais também estão suspensos, exceto os que partem de Campinas (SP). 

Latam – redução de seus voos em 70% 

A Latam informou que, devido aos novos anúncios de fechamento de fronteiras de vários países e a consequente queda na demanda, o grupo reduzirá sua capacidade em 70%, dos quais 90% são uma redução nas operações internacionais e 40% correspondem a voos domésticos. A empresa informou que todos os passageiros que possuem voos nacionais ou internacionais afetados, e que viajam a partir de hoje, 16 de março, podem reagendar seu voo gratuitamente até 31 de dezembro de 2020.

Gol – redução de até 70% dos voos 

A Gol anunciou hoje, 16 de março, que a companhia se deparou com a necessidade de fazer uma adequação em sua malha aérea, sem interrupção de serviço para qualquer destino doméstico. A empresa reduzirá sua capacidade total em aproximadamente 60 a 70% até meados de junho, sendo uma redução de 50 a 60% no mercado doméstico e uma redução de 90 a 95% no mercado internacional. Para os passageiros impactados com as alterações será oferecido “alternativas flexíveis e convenientes“, segundo Eduardo Bernardes, Vice-presidente de Vendas e Marketing da GOL. 

Em tempo: o Consulado Americano anunciou que cancelou as entrevistas de visto rotineiras de imigrantes e não emigrantes. Caso sua entrevista de visto seja cancelada, o solicitante de vistos receberá uma notificação por SMS e/ou e-mail e poderá reagendar  quando as operações normalizarem

Dica V&G: enquanto isso pesquise, sonhe, leia e vá atrás de informações sobre o destino que pretende ir…isso não custa nada e não traz riscos à saúde. Aqui no site temos matérias de mais de 100 destinos – escolha o seu e boa leitura! 

VALE SEMPRE LEMBRAR: PREVINA-SE 

  • Lave suas mãos constantemente utilizando água e sabão por, no mínimo, 20 segundos; 
  • Ao tossir ou espirrar cubra a boca e o nariz com cotovelos ou lenço e não utilize as mãos; 
  • Os lenços utilizados devem ser descartados imediatamente;
  • Utilize o álcool em gel 70% para higienizar as mãos, celulares e objetos;  
  • Evite contato com pessoas que apresentam sintomas como febre e tosse;
  • No momento, não há recomendação para o uso de máscaras para pessoas que estejam saudáveis e não apresentam sintomas;
  • Se apresentar sintomas como febre, tosse e dificuldade para respirar, procure a unidade de saúde mais próxima. 

*Recomendações feitas pelo Governo do Estado de São Paulo

Booking.com

Posts relacionados