Por André Prado 

Portugal está em alta e isso não é novidade. Não à toa, o país conquistou, pela terceira vez consecutiva, o prêmio de Melhor Destino Europeu pelo World Travel Awards — o Oscar do turismo mundial. Mas vale sair da rota tradicional, como Lisboa e Algarve, e desbravar a estonteante e acolhedora Região dos Vinhos Verdes, no extremo noroeste do país 

Região dos Vinhos Verdes, Portugal (Foto: André Prado)
Região dos Vinhos Verdes, Portugal (Foto: André Prado)

Próxima a famosa cidade do Porto está a região dos Vinhos Verdes, ainda pouco conhecida entre os brasileiros. Engana-se quem pensa que Vinho Verde é um tipo da bebida, esse é realmente o nome da região próxima ao Rio Minho. Com uma natureza exuberante, essa sim com muitos tons de verde e que justifica o nome da área, cidades históricas e lindas vinícolas, a região Demarcada Vinhos Verde tornou-se uma grande e renomada produtora de vinhos brancos, tintos, roses, espumantes e até de aguardentes. 

Sua área foi demarcada em 1908 e, em termos geográficos, é a maior de Portugal e uma das mais extensas do continente europeu. A região do Minho divide-se em nove sub-regiões que produzem bebidas com grandes diferenças entre elas: Amarante, Ave, Baião, Basto, Cávado, Lima, Monção/Melgaço, Paiva e Sousa.

8 atrativos para sair do básico em Portugal 

Onde ficar?

Tem quem goste de ficar em Porto e de lá partir de carro para desbravar a região, mas para uma experiência mais genuína recomendamos se hospedar pelo menos dois dias em Guimarães e, depois, passar ao menos uma noite em alguma vinícola. É incrível! A pequena Guimarães foi a primeira capital portuguesa e tem um centro histórico superconservado, que inclusive lhe rendeu o título de Patrimônio da Humanidade. Vale visitar o Monte Largo (Palácio de Bragança e o castelo), o Parque da Penha e sua Praça de Santiago, com casinhas coloniais que, hoje, são restaurantes, bares e comércios. Ótimo local para sentar e tomar um bom vinho – local, é claro – no final do dia. 

Braga é outra boa opção. Cidade universitária cheia de charme, com muitas igrejas e uma noite agitada. As duas igrejas mais famosas são a da Sé de Braga, construída no século 11, e o santuário do Bom Jesus do Monte, que fica no topo de uma colina. São cerca de 600 degraus para se chegar ao topo, mas há a opção de um “trenzinho” para os que preferirem pular a parte do exercício. 

Quinta de Lourosa (Foto: André Prado)
Quinta de Lourosa (Foto: André Prado)

Quem quiser se hospedar em vinícolas a Quinta de Lourosa, a 40 km do Porto, é um refúgio de paz a tranquilidade que parece que faz o tempo voltar para o século 17, quando foi fundada. A propriedade renasceu nas últimas décadas graças ao trabalho do professor Rogério de Castro, catedrático de viticultura, e sua família, que participam do dia a dia da vinícola e pousada e recebem os visitantes com muita dedicação. Rústica e com uma simplicidade cheia de charme, a Quinta de Lourosa oferece visitas guiadas às vinhas e adega, provas de vinhos, entre outras atividades. Tem uma gostosa piscina para aproveitar durante o forte verão português. 

Outra excelente opção, também a cerca de 45km do Porto, é o Monverde Wine Experience Hotel  que foi premiado por três anos consecutivos no Best of Wine Tourism. Um refinado hotel e spa no meio dos vinhedos da Quinta da Lixa, em uma propriedade de 30 hectares, com quartos espaços, decoração cheia de design e um restaurante de alta gastronomia que mistura ingredientes locais com a cozinha internacional. A vinícola oferece inúmeras atividades aos visitantes, como cursos, visita guiada, degustações e refeições temáticas.

Monteverde Wine Experience (Foto: Andre Prado)
Monteverde Wine Experience (Foto: Andre Prado)

Lisboa, Porto e Douro: um tour pelos hotspots portugueses 

Onde comer pela região dos Vinhos Verdes, em Portugal 

Restaurante Tormes  

Localizado junto a Fundação Eça de Queiroz este restaurante reproduz uma série de pratos descritos pelo escritor em suas obras. Peçam o frango alourado com arroz de favas, um prato simples e delicioso. As entradinhas e o creme queimado de sobremesa também são ótimos. Vale aproveitar para visitar a Quinta de Covela que fica próxima ao restaurante.

Restaurante Monverde  

Conforme dito acima, o restaurante do Hotel Monverde apresenta pratos bem elaborados e com lindas apresentações. Vale muito conhecer o local, fazer o tour guiado e terminar com uma ótima refeição harmonizada com os vinhos da vinícola. 

Restaurante Visconde

No vilarejo de Lousada este restaurante oferece cardápio bem variado, com pratos para todos os gostos, em ambiente agradável e uma bonita adega. Vale pedir o tradicional cozido à portuguesa.

Quinta das Arcas (Foto: André Prado)
Quinta das Arcas (Foto: André Prado)

Quais vinícolas visitar?

O grande atrativo da região dos Vinhos Verdes, obviamente, é o vinho! Sendo assim, escolha sem medo de ser feliz algumas das vinícolas abaixo para visitar durante a sua viagem e…cheers! 

Quinta das Arcas

A apenas 26km do centro da cidade do Porto esta Quinta é uma ótima opção de passeio para quem está hospedado na cidade. Pode se fazer desde provas simples até passeios de jeep pelos vinhedos.

Quinta de Lourosa

Quinta de Lourosa
Quinta de Lourosa (Foto: André Prado)

Oferece várias opções de passeios que podem incluir piquenique ou almoço, sempre com provas de vinhos. A propriedade é muito bonita com diversas árvores frutíferas, além de uma bonita casa de pedra onde pode-se ficar hospedado.

Quinta da Lixa

Quinta da Lixa
Quinta da Lixa (Foto: divulgação)

Provas e passeios estão entre as atividades que a vinícola tem para os turistas. O Hotel Monverde, que pertence ao mesmo grupo e fica no meio dos vinhedos, tem uma série de atividades do enoturismo que vai desde piquenique no vinhedo até a experiência de um dia como enólogo. 

Quinta de Covela

Quinta da Covela (Foto: André Prado)
Quinta da Covela (Foto: André Prado)

Vinícola que fica próxima ao Rio Douro, tem os vinhedos muito bem cuidados com vista para rio. Marque um passeio pelas vinhas seguido de uma degustação. Não deixe de provar o Covela Reserva Branco. 

Quinta de Aveleda

Gigante do vinho de Portugal é uma visita que vale super a pena, principalmente pelos maravilhosos jardins da vinícola. Lá não existem pacotes de passeios, você tem que entrar em contato e montar um tour especial para você ou seu grupo – que pode ser desde um simples passeio e degustação até um almoço especial no jardim ou no terraço com vista para os vinhedos. As aguardentes Adega Velha feito pela vinícola são ótimos!

Soalheiro

Vinícola no norte da região, em Melgaço, quase na divisa com a Espanha e considerada a terra dos melhores alvarinhos. Eles têm propostas de enoturismo que vão desde simples provas até o “combo” com almoço ou esportes radicais. Os vinhos do Soalheiro são sensacionais e tem uma linha bem grande que incluem até vinhos totalmente naturais. Tente provar um alvarinho com uma certa idade, é uma experiência única de como estes vinhos envelhecem bem.

IMPORTANTE: é necessário agendar a visita em TODAS as vinícolas, nem tente chegar sem reserva! 

 

*O repórter viajou para Portugal a convite da CVRVV – Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes.

Booking.com

Posts relacionados