* Por Fernanda Vidigal

PAMM (Foto: divulgação)

Não importa se é sua primeira vez na cidade ou se já é habitué de Miami. Point de amantes de destinos charmosos à beira-mar, Miami reserva gratas e interessantes opções para os adoradores da arte, em todas as suas variações. Fernanda Vidigal aponta os museus e galerias imperdíveis por lá

Para os leigos:
– O PAMM (Perez Art Museum), é o museu de arte contemporânea de Miami. Inaugurou um prédio novo há 5 anos e tem uma tímida coleção permanente, mas na época da Art Basel (uma das maiores feiras de arte do mundo com sede em Miami Beach), por exemplo, tem exposições bem legais, como uma individual do artista chinês Ai Weiwei, do argentino Julio Le Parc, do pintor venezuelano Carlos Cruz Dies. Foi sede também da maior mostra da artista plástica brasileira Beatriz Milhazes nos EUA.  A arquitetura e a decoração do espaço são de tirar o fôlego! O projeto, do escritório Herzog & de Meuron, é totalmente sustentável. Por lá, tem um restaurante descolado chamado Verde e uma lojinha que também é demais. As vezes, no final da tarde, um DJ toca ao vivo e é uma boa oportunidade para curtir a vista linda de Miami. Parte dela, aliás, é o jardim com esculturas de artistas como o espanhol Jaume Plensa, o brasileiro Ernesto Neto, o uruguaio Pablo Atchugarry e a instalação azul do venezuelano Jesús Rafael Soto, que as crianças amam.

Veja também:
O melhor da gastronomia de Fort Lauderdale
Points gastronômicos na ilha Key Biscayne
Descubra o melhor sushi de Miami

The Bass foi reformado em 2017 e está localizado na Collins. Sua especialidade é a arte contemporânea e sempre abriga exposições legais durante a Art Basel, como a do artista norte-americano Ugo Rondinone e do camaronês Pascale Marthine Thayou no ano passado. Possui uma escultura linda de Rondinone no jardim.

ICA, museu novo no Design District. Possui uma coleção pequena, mas de artistas sólidos e importantes da atualidade, como os ingleses Tracey Emin e Cris Ofili e os norte-americanos Sterling Ruby e Dan Flavin. Em cartaz, há a mostra de esculturas de Louise Bourgeois até janeiro 2019. O museu, inclusive, já fez uma exposição com obras do brasileiro Helio Oiticica e, em seu pátio, há algumas esculturas interessantes do norte-americano Sol Lewitt.

Exposição do brasileiro Helio Oiticica no ICA (Foto: divulgação)
Wynwood Walls, bairro descolado e super artsy com vários ateliês de artistas jovens. O bairro foi criado nos anos 2000 e depois de 8 anos virou um dos maiores redutos de movimentos de arte elevando, dessa maneira, o valor da Street Art. Idealizado pelo empreendedor imobiliário Tony Goldman, as paredes gigantes do district ja tiveram obras de mais de 50 artistas, que representam 16 países, dando visibilidade mundial para os melhores do cenário artístico local. Visite a galeria de Peter Tunney, a The Peter Tunney Experience, por onde o artista é sempre visto.
NSU Art Museum fica em Fort Lauderdale, cidade linda há 30 minutos de Miami. Este ano apresentou uma mostra individual do artista plástico norte-americano Frank Stella que é de babar. Também tem uma lojinha superlegal! Além disso, ainda fica bem pertinho da fofa Las Olas Boulevard.
Para os habitués:
Miami possui 4 das coleções mais importantes dos EUA, todas localizadas em armazéns no Design District de Miami. Aceitam visitas, mas somente em horários restritos e algumas fecham no verão. As coleções têm o intuito de aumentar e enriquecer a troca de culturas no mundo das artes. Elas são grandes suportes para artistas emergentes e consagrados. A saber:

Margulies Collection, minha preferida, idealizada pelo discreto colecionador de arte Martin Margulies. A coleção está avaliada em 800 milhões de dólares e está entre as 200 mais importantes do mundo. Possui uma vasta quantidade de obras do pintor Anselm Kiefer, amigo de Margulies, com trabalhos importantes e gigantescos. É uma organização sem fins lucrativos e toda renda arrecadada na bilheteria vai para o projeto da esposa do colecionador. Dizem que seu apartamento no Grand Bay, em Key Biscayne, possui obras mais incríveis ainda. Não dá para perder!

De La Cruz Collection (Foto: divulgação)
De La Cruz Collection  é outra que amo e que compila trabalhos que abrange dos anos 80 até os dias de hoje. Um período onde o mundo observou a reunificação da Alemanha, o dissolvimento da União Soviética, a ascensão dos EUA como líder global, a globalização, identidade de gêneros e vários conflitos raciais. O pintor escocês Peter Doig, os norte-americanos Tauba Auerbach, Sterling Ruby, Mark Bradford e Felix Gonzalez Torres e o alemão Sigmar Polke são alguns nomes presentes na coleção.
Rubell Foundation tem 7 mil obras em seu acervo e também está entre as mais importantes dos EUA. Há 23 anos no Design District, a fundadora Mera Rubell vai mudar para um espaço maior em dezembro de 2018. O novo endereço será no bairro de Alapath, em Miami.
Cisneros Fontanals Art Foundation (Cifo), coleção com foco em obras de arte latino-americanas. Muitas estão emprestadas para os melhores museus do mundo, como o Tate e o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia. Para o Art Basel sempre apresenta trabalhos conectados com o tema da curadoria da exposição.

Posts relacionados