No “salto da bota”, bem ao sul da Itália, está a região da Puglia. Cidades históricas e pitorescas, praias lindas e gastronomia deliciosa a fazem um lugar único. Banhada pelos mares Jônico e Adriático tem muitas paisagens diferentes e deslumbrantes. Entenda porque você vai se apaixonar pela Puglia.

Puglia, Itália – A Itália é um dos destinos mais fascinantes do mundo: histórias milenares, cultura e gastronomia que só de lembrar já dá água na boca, além de muita beleza arquitetônica e natural. São diversos locais que estão na lista dos viajantes, como Roma, Florença e sua Toscana, Veneza… agora, já pensou em explorar o extremo sul da Itália? Lá onde chamam de salto da bota? Puglia ou Apúlia em português tinha uma função estratégica em seu passado: era a união natural com o Oriente. Seu território foi ocupado pelos gregos (fundaram Taranto) no séc. VIII AC e conquistado pelos Romanos, onde teve papel essencial como “porta do Oriente”, a partir do porto de Brindisi. Ainda é possível ao longo da província ver indícios da passagem dos gregos, como o teatro de Lecce.

Anfiteatro romano de Lecce (Foto: Daniela Filomeno)

Para explorar a Puglia (ou Apúlia), primeiro é necessário decidir o que quer fazer: praias, gastronomia, masserias (hospedagem em fazendas históricas) e cidades medievais. Sim, o destino oferece tudo isso e não terá outro lugar da Itália tão diverso quanto. Não é à toa que é um dos locais mais procurados no verão europeu e está super em alta pelos brasileiros, que começaram a descobrir a região nos últimos anos.

Praia

A diversão é passar um dia em um Lido, que são pedaços privados de praia, com beach clubs onde paga-se (em média €20) por uma espreguiçadeira e serviço. A maioria das praias são de pedra e também existem as Spiaggia Libera (praia pública), para quem quer esticar a canga sem pagar. Existem praias de pedra (corais) ou areia, veja qual te agrada mais para curtir o dia e aproveite o sol.

Praia de pedra em Fasano

Onde comer em Roma, na Itália

O luxuoso Borgo Egnazia na Puglia, Itália

A tradição do Hotel De Russie, Roma

Cidade

A região é rica em cidadezinhas medievais, como Cisternino, Alberobello (a famosa cidade dos trulli), Locorotondo, Ostuni, Lecce (esta é grande), Martina Franca, Polignano a Mare, entre outras. Se perca pelas ruelas e aprecie uma boa refeição italiana com delícias típicas da Puglia.

A cidade medieval Lororotondo, eleita uma das mais bonitas do país (Foto: Daniela Filomeno)

Região

São basicamente seis províncias: Bari,  Barletta-Andria-Trani, Brindisi, Foggia, Lecce e Taranto. Dependendo da proximidade, é possível combinar mais de uma em um mesmo dia, até outras mais, já que algumas são bem pequenas. Abaixo as regiões com alguns de seus principais monumentos, caso passe por elas, afinal conhecer a Puglia é isso; pegue o carro e saia para explorar e descobrir pequenas cidade, vilarejos e praias.

O famoso restaurante Grotta Palazzese, que fica em uma gruta histórica em Polignano a Mare

Gastronomia: por sua proximidade ao mar tem muitos peixes e frutos do mar, mas o orecchiette (massa que lembra o formato de uma orelha), ragu de brascciola (aquele carne deliciosa enrolada – “bife a rolê”), embutidos e burrata são onipresentes.

Onde comer na Puglia, na Itália

Bari e região

Bari – Castelo Svevo, Catedral S. Sabino, Basílica de S. Nicola, igreja S. Gregorio, Museu Histórico, Arqueológico, Capela Memorial the Caduti d’Oltremare.

Conversano – Castelo, Catedral, igreja S. Cosma Church e Museu Cívico.

Castellana Grotte – um tour guiado pela gruta.

Alberobello – Alberobello Trulli, Santuário S. Cosma e Damiano e área monumental.

Alberobelo e seus trulli (estas construções de telhados cônicos), patrimônio mundial da UNESCO

Barletta – Andria – Trani

Barletta – S. Sepolcro Basilica, Coliseu, Museu De Nittis Civiei, Catedral S. Maria Maggiore, Castelo, the Disfida Cellar.

Andria/ Castel del Monte – O extraordinário monumento da Era da Suábia,  residência de caça de Federico II; Catedral de Andriá

Trani – igreja Ognissanti, Palácio Caccetta, Catedral, Castelo Federico II, igreja S. Andrea e S. Francesco.

Brindisi e região

Brindisi – Castelo Alfonsino, Colunas Romanas, Palácio Montenegro, Catedral, Mise Arqueológico, igreja S. Paolo, San Giovanni al Sepolcro Church, igreja S. Maria degli Angeli, Castelo Svevo, igreja S. Maria del Casale.
Fasano – Settlements rock e ruínas de Borgo Egnazia
Ostuni – Praça da Liberdade, Obelisco, Prefeitura, igreja S. Francesco Church, convento Monacelle e catedral S. Biagio Grotto.
Cisternino – centro histórico charmoso e vista de todo o “Valle d’Itria”.
Selva di Fasano – onde abrigava as comunidades feudais, de onde surgiram os truly, oferece uma vista panorâmica a partir do topo da colina.

As construções históricas de Cisterninos (Foto: Daniela Filomeno)

Foggia

Foggia – Catedral de Foggia, Parque Nacional San Nicola

Lecce e região

Lecce – Castelo, S. Croce Basilica, Palácio Seggio Palace, igreja S. Irene, S. Matteo, S. Chiara, Roman Anfiteatro Romano, Teatro Romano, Town Hall and the Provincial Museum, Torre do Sino, Catedral e Seminário.
Santa Maria di Leuca – grutas Zinzulusa, caverna do mar.
Gallipoli – conhecida como a cidade Grega, vale um passeio de barco pelo mar Ionico e a ponte de pedra.
Galatina – Santuário Madonna della Luce
Galatone – Santuário Madonna delle Grazie

Teatro Romano de Lecce (Foto: Daniela Filomeno)

Taranto e região

Taranto – Castelo The Aragonese, S. Domenico Catedral, igreja S. Domenico Maggiore, Museu Nacional, Peripato Villa, Con-Cathedral.
Martina Franca – Arco de S. Stefano, Palácio Duke, S. Martino Collegiata, Court Palace, Torre de Observação, igreja S. Domenico e igreja Carmine.
Massafra – Capela S. Lucia, igreja S. Martino Benedetto, The Watch Tower, Santuário Madonna della Scala, Cripta S. Leonardo e Cripta Candelora.

Martina Franca na província de Taranto (Foto: Daniela Filomeno)

Confira aqui todas as nossas matérias sobre a Itália! 

Informações básicas:

São dois aeroportos para explorar a região: Bari, com maior número de voos, e Brindisi. Não tem voo direto do Brasil, é necessário fazer escala em Roma ou Milão.

A região é ótima para ser explorada de carro, vale a pena alugar um.

    Quando visitar?

    Quando Visitar

    Melhor período é de maio a outubro, lembrando que a temporada começa em junho e julho e agosto é o seu pico (leia-se tudo mais caro e lotado). Agosto é as férias dos europeus, ou seja, tudo cheio e preços nas alturas. ⠀

    / ºC
    / ºC

    Roteiro: o que fazer?

    O que fazer
    Roteiro? Em uma primeira vez, chegue por Bari e vá descendo. Polignano a Mare (praia um pouco antes, Cala Paura) - Monopoli (praia) - Castellana Grote (gruta) - praia de Fasano e visita a uma Masseria (charmosas hospedagens em fazendas antigas) - Alberobelo, Locorotondo, Cisternino , Martina Franca (tudo micro cidade que faz as 4 em um dia) - Ostuni - Lecce. Se tiver mais tempo: Gallipoli e Otranto. Na lista para uma próxima vez: Monopoli, Castellana Grotte, Isolle Tremiti, Gallipoli e Otranto.

    Posts relacionados