Salvador, na Bahia, é constantemente lembrada por abrigar um dos maiores carnavais de rua do mundo.  Mas, a cidade oferece muito mais que o carnaval em fevereiro, guarda uma riqueza histórica impressionante. Turistas se encantam por suas ruas coloridas, pela alegria baiana e pela gastronomia regional. Quer saber seis lugares bacanas para se visitar na cidade?

Fundada em 1549 e repleta de construções históricas e passeios memoráveis, Salvador, a antiga capital federativa do Brasil, esbanja beleza, alegria e simpatia enquanto oferece aos turistas uma verdadeira imersão cultural e histórica pela maior metrópole do nordeste. Salvador tem uma gama enorme de coisas para se fazer. Para facilitar, aqui seis passeios tradicionais e com ares históricos para reviver o passado.

Pelourinho

Ponto de partida para descobrir Salvador, o icônico bairro do Pelourinho encanta tanto pelo estilo arquitetônico colonial quanto pelo colorido das edificações. Vibrante e alegre, a região, que antigamente servia de “palco” para punições públicas dos escravos, hoje desponta como uma das atrações turísticas mais importantes da Bahia. Destaque para a Igreja e Convento de São Francisco, que dizem ter sido feita com “ouro” e para o Largo do Pelourinho, que serviu de cenário para o clipe de Michael Jackson em 1996.

Convento do Carmo

Localizado no chamado centro histórico de Salvador, no bairro de Santo Antônio Além do Carmo, o hoje Pestana Convento do Carmo, primeiro hotel histórico de luxo do país, carrega em seus muros e paredes o testemunho dos séculos. Erguido em 1586 pela Ordem Primeira dos Freis Carmelitas e finalizado somente em 1730, a construção alia o charme arquitetônico colonial brasileiro com um vasto e exclusivo acervo de obras de arte com mais de 1.500 peças, variando entre imagens sacras, ourivesarias, pratarias, roupas antigas bordadas a ouro, móveis e dois claustros. O conjunto do Carmo é constituído pela Igreja do Carmo, duas capelas e um museu. Ambos certamente valem a visita ou a hospedagem, no caso do hotel. Vale a visita no Restaurante do Convento, comandando pela chef brasileira Cláudio Bottino, que mescla a culinária baiana com a cozinha contemporânea.

Fundação Casa de Jorge Amado

 No alto do Largo do Pelourinho, em dois simpáticos e coloridos casarões, a memória e a biografia de Jorge Amado, um dos maiores e mais traduzidos escritores brasileiros de todos os tempos segue intacta e ao alcance de todos. Com diversos arquivos, documentos, livros e fotos do autor baiano, a Fundação Casa de Jorge Amado é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, que visa promover e difundir cultura e conhecimento tanto para os amantes de literatura e da língua portuguesa, quanto para curiosos interessados na vida deste celebre escritor. Jorge Amado é o autor de importantes sucessos nacionais, tais como “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, “Gabriela” e “Tieta do Agreste”.

Elevador Lacerda

Cartão postal da cidade de Salvador e um dos pontos turísticos mais visitados da Bahia, o hoje turístico Elevador Lacerda é um dos marcos do progresso soteropolitano no passado. Projetado pelo engenheiro Augusto Frederico de Lacerda para facilitar o deslocamento dos cidadãos entre a Cidade baixa e a Cidade alta, a atração foi inaugurada em 1873 com apenas duas cabines e operando sob sistema hidráulico. Hoje, após quatro reformas, o elevador dispõe de quatro cabines panorâmicas e oferece uma das vistas mais deslumbrantes da Baia de Todos os Santos. São transportadas em média cerca de 27 mil pessoas por dia.

Igreja Nosso Senhor do Bonfim

Independente da sua fé ou crença, a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim merece ser visitada e admirada ao menos uma vez na vida. Construída em 1772, a edificação, que tem duas torres sineiras, foi erguida ao melhor estilo neoclássico e está coberta com azulejos portugueses do século XIX em sua fachada. No interior do templo católico, destaque para as imagens de Nosso Senhor do Bonfim e da Nossa Senhora da Guia, trazidas diretamente de Portugal em 1745. Uma vez no local, não se esqueça de amarrar uma fitinha colorida no braço, dar três nós e fazer três pedidos.

Monumento da Cruz Caída

Na bela região da Sé, o embora novo, porém simbólico Monumento da Cruz Caída marca o local onde se situava a antiga e histórica Catedral da Sé Primacial do Brasil, construída em 1553 e demolida em 1933 para dar espaço à circulação de bondes. Projetado pelo artista plástico baiano Mário Cravo e inaugurada em 1999, durante as comemorações do aniversário de 450 anos de Salvador, o monumento é um dos melhores lugares para apreciar o poente e reviver o passado de uma maneira não visual, mas sensorial.

*Fotos divulgação Pestana Convento do Carmo

Posts relacionados